Equipas sonantes eliminadas na fase de grupos

Juventus, Atlético e Dortmund, futuros finalistas da UEFA Champions League, já ficaram pelo caminho na fase de grupos da UEFA Europa League, prova de que os nomes contam pouco.

Jürgen Klopp consola os seus jogadores depois do afastamento do Dortmund da fase de grupos
Jürgen Klopp consola os seus jogadores depois do afastamento do Dortmund da fase de grupos ©Getty Images

A fase de grupos da UEFA Europa League tem mostrado pouco respeito pelo prestígio das equipas ao longo dos anos. Numa altura em que os clubes fazem contas para chegar aos 16 avos-de-final, o UEFA.com recorda alguns dos nomes sonantes que ficaram pelo caminho nas últimas edições.

Juventus (Grupo A, 2010/11, J6 V0 E6 D0 GM7 GS7 Pontos 6)
A equipa de Luigi Delneri sofreu muitos contratempos com lesões ao longo de toda a época, como Simone Pepe - um extremo que foi obrigado a jogar a defesa-esquerdo – explicou ao UEFA.com: "Quando se joga numa equipa como a Juve, todos os adversários dão 200 por cento em campo, 100 por cento não basta." A Juve ficou no terceiro lugar, atrás de Manchester City e Lech Poznán, mas fez história ao ser a única equipa a empatar os seis jogos numa campanha na UEFA Europa League.

Atlético Madrid (Grupo B, 2010/11, J6 V2 E2 D2 GM9 GS7 Pontos 8)
O Atlético era o detentor troféu e manteve a maior parte das duas estrelas para a defesa do título, mas, apesar de contar com David de Gea, Sergio Agüero e Diego Costa, não foi além do terceiro lugar no Grupo B. Esta classificação ficou a dever-se em grande parte às duas derrotas com os gregos do Aris, com destaque para o desaire por 3-2 em casa que levou o capitão Antonio López a reconhecer: "Antes do pontapé de saída, nunca nos passou pela cabeça perder este jogo."

Dortmund (Grupo J, 2010/11, J6 V2 E3 D1 GM10 GS7 Pontos 9)
O Dortmund ficou colocado no mesmo grupo de Paris Saint-Germain e Sevilha, nunca deixou de lutar, mas não escapou ao terceiro lugar num dos grupos mais competitivos da história da prova. A equipa de Jürgen Klopp precisava de vencer em Sevilha na última jornada mas empatou 2-2. "Queremos jogar sempre à máxima velocidade, no limite", explicou Klopp. Nessa época, os alemães compensaram esta desilusão com a conquista do título da Bundesliga, com a maior parte dos jogadores a causarem depois sensação na UEFA Champions League.

Harry Kane depois de marcar o primeiro golo pelo Tottenham
Harry Kane depois de marcar o primeiro golo pelo Tottenham©Getty Images

Tottenham (Grupo A, 2011/12, J6 V3 E1 D2 GM9 SG4 Pontos 10)
As derrotas frente a Rubin Kazan e PAOK condenaram a equipa de Harry Redknapp a terminar no terceiro lugar atrás dos dois rivais. Harry Kane apontou o primeiro de muitos golos pelos "spurs" na despedida, uma goleada de 4-0 ao Shamrock Rovers, que não somou qualquer ponto. A presença de nomes sonantes como Luka Modrić e Jermain Defoe não evitou a eliminação, mas a campanha também teve alguns aspectos positivos. "Foi muito importante para nós, os jovens, termos tempo de jogo", afirmou o médio Andros Townsend.

Paris (Grupo F, 2011/12, J6 V3 E1 D2 GM8 GS7 Pontos 10)
Os golos marcados fora de casa foram o calcanhar de Aquiles da equipa de Antoine Kombouaré, superada pelo Salzburgo num grupo tremendamente disputado. "Temos de garantir que não perdemos a confiança, porque talento temos", concluiu o defesa Zoumana Camara. A confiança e o talento ficaram bem mais reforçados na época seguinte com a contratação de Zlatan Ibrahimović, um sinal do forte investimento que viria a ser feito na reconstrução do clube. Os parisienses nunca mais voltaram a competir na UEFA Europa League.

Iker Muniain após a derrota do Athletic em 2012
Iker Muniain após a derrota do Athletic em 2012©AFP/Getty Images

Athletic (Grupo I, 2012/13, J6 V1 E2 D3 GM7 GS9 Pontos 5) 
"A experiência na UEFA Europa League foi bonita", afirmou o avançado Fernando Llorente ao UEFA.com depois de o Athletic regressar à prova na época seguinte e perder a final de 2012 para os compatriotas do Atlético Madrid. A carreira em 2012/13 esteve longe de atingir o mesmo brilho, a equipa de Marcelo Bielsa não conseguiu vencer nenhum dos quatro primeiros jogos e foi eliminada sem jogar, sendo relegada para o último lugar do grupo depois do desafio da quinta jornada no reduto do Kiryat Shmona ser adiado por razões de segurança.