Alcácer aponta à glória do Valência

Paco Alcácer, herói do Valência nos quartos-de-final, está certo de que a crença ganha com a reviravolta frente ao Basileia deixa a sua equipa em boa posição no embate com o Sevilha.

Paco Alcácer apontou sete golos na presente edição da prova
Paco Alcácer apontou sete golos na presente edição da prova ©AFP/Getty Images

"Seria o máximo", disse o herói dos quartos-de-final do Valencia CF, Paco Alcácer, à medida que a possibilidade de vencer a UEFA Europa League se aproxima, a poucos dias de defrontar o Sevilla FC nas meias-finais.

O "hat-trick" do dianteiro de 20 anos na segunda mão dos quartos-de-final, frente ao FC Basel 1893, ajudou a recuperar de uma desvantagem de 3-0 na primeira mão e deixou o clube do Mestalla a três jogos de poder erguer o troféu que já conquistou em 2004. "É a isso que aspiramos e depositamos muitas esperanças nesta competição porque é bom para os jogadores e para os adeptos", disse o dianteiro dos Sub-21 de Espanha. "Se não nos apurarmos, é porque as coisas não resultaram e não porque não tenhamos dado tudo."

Antes da eventual final frente ao SL Benfica ou à Juventus, surge pelo caminho um adversário conhecido da Liga espanhola, o Sevilha, numa eliminatória que começa esta quinta-feira na Andaluzia. "Uma vez aqui chegados, há que dar tudo por tudo para irmos mais longe. Apenas precisamos de disputar o encontro fora de casa como se fosse o nosso último de forma a estarmos mais descontraídos quando jogarmos em casa", disse Alcácer, que acredita que a sua equipa tem ascendente. "[As equipas] jogam mais ou menos da mesma forma. Somos mais perigosos lá na frente e temos jogadores mais rápidos e decisivos nas alas."

Tendo perdido para o Club Atlético de Madrid nas meias-finais de 2012, o Valência terá mais uma oportunidade de fazer história graças à proeza de Alcácer há cerca de duas semanas. "Fazer uma recuperação como aquela, perante os nossos adeptos, é o melhor que podemos pedir", disse. "Convencemo-nos que seríamos capazes, mas os adeptos deram-nos imenso apoio para darmos a volta a uma eliminatória que parecia impossível. O orgulho sentido nos nossos corações ajudou-nos a completar a recuperação."

Os golos do avançado podem ter sido o que fez a diferença frente ao campeão da Suíça, mas Alcácer insiste que será o espírito de equipa que irá ajudar a sua equipa a seguir em frente. "Fiquei muito feliz pela forma como joguei, mas tudo se resume aos nossos companheiros de equipa", disse o jogador que, na época passada, esteve emprestado ao Getafe CF.

"Apoiamo-nos uns nos outros. Basicamente, tudo se resume à personalidade. Temos personalidade em todo o campo e também temos competitividade, que é a coisa mais importante para uma equipa. Podemos ver a nossa individualidade em todo o campo – podemos ver que toda a gente tem os seus pontos fortes que depois trazem para o campo."