Combata a COVID-19 seguindo as indicações da Organização Mundial de Saúde e os cinco passos da FIFA para travar a propagação da doença.

1. Lavar as mãos 2. Tossir para o antebraço 3. Não tocar no rosto 4. Manter a distância física 5. Ficar em casa.
Mais informação >
 

Horizontes alargados na UEFA Europa League

Com equipas de metade das 54 federações-membro da UEFA envolvidas, a fase de grupos da UEFA Europa League é a mais ampla de sempre, como demonstram as nossas estatísticas.

O Juventus Stadium vai receber a final da UEFA Europa League
O Juventus Stadium vai receber a final da UEFA Europa League ©Domenic Aquilina

A edição 2013/14 da UEFA Europa League é a mais diversificada de sempre, registando-se um número recorde de nações representadas. O UEFA.com foi à procura dos principais factos e das estreias entre os 48 participantes.

Turim como alvo 
A 43ª edição desta competição – e a quinta desde que se tornou UEFA Europa League – vai terminar no Juventus Stadium, em Turim, com a cidade a receber pela primeira vez a final de uma prova de clubes da UEFA. A nova arena situa-se no lugar do antigo Stadio delle Alpi, que foi palco de duas finais – ainda na versão dois jogos - da Taça UEFA: o AFC Ajax empatou 2-2 com Torino FC na caminhada pela conquista do troféu em 1992, graças aos golos marcados fora; no ano seguinte foi a vez de a Juventus golear o Borussia Dortmund por 3-0 em Turim e terminar com um total de 6-1. Na sua casa anterior na cidade, o Stadio Comunale, a Juventus já vencera o Athletic Club, por 1-0, e a ACF Fiorentina, por 3-1, nas partidas da primeira mão da final de 1977 e de 1990 da Taça UEFA.

Historial dos participantes
Figuram na fase de grupos da UEFA Europa League cinco clubes que já conquistaram o troféu: Valencia CF (2004), Eintracht Frankfurt (1980), PSV Eindhoven (1978), o duas vezes vencedor, o Sevilla FC (2006 e 2007) além do Tottenham Hotspur FC (1972 e 1984). O PSV é o único dos participantes que já conquistou, também, a Taça dos Campeões Europeus (em 1988). O treinador do FC Dnipro Dnipropetrovsk, Juande Ramos, venceu a competição por duas vezes em Sevilha, enquanto Huub Stevens, técnico do PAOK FC, soma também duas conquistas, uma como jogador (PSV, 1978) e outra como técnico (FC Schalke 04, 1997). André Villas-Boas, do Tottenham Hotspur FC, é o único treinador envolvido que prevaleceu na era da UEFA Europa League (FC Porto, 2011).

Cena internacional
As 48 equipas que vão competir na fase de grupos da UEFA Europa League representam 27 países, quebrando o recorde de 25 da última época. Ou seja, metade das 54 federações-membro da UEFA participam na competição, com o Cazaquistão a estar pela primeira vez representado numa fase de grupos das provas da UEFA, através do FC Shakhter Karagandy. Vão também participar treinadores de 29 nacionalidades, com Portugal a somar seis, enquanto no St Gallen, Jeff Saibene torna-se no primeiro treinador luxemburguês a figurar numa competição da UEFA. Kurban Berdyev, técnico nascido no Turquemenistão e que está a orientar o FC Rubin Kazan, é o único não europeu que vai estar no banco.

Clubes participantes na UEFA Europa League 2013/14 por nacionalidade
3 Rússia, Espanha, Inglaterra, Ucrânia, Bélgica e Portugal,
2 Suíça, Croácia, Holanda, Áustria, Itália, Chipre, Alemanha, França e Israel
1 Bulgária, Dinamarca, Suécia, Eslovénia, Roménia, República Checa, Polónia, Turquia, Noruega, República da Moldávia, Grécia e Cazaquistão

Treinadores na UEFA Europa League 2013/14 por nacionalidade
6 Portugal
4 Holanda
3 Alemanha, Espanha
2 Dinamarca, Roménia, Croácia, Ucrânia, Israel, França, Rússia
1 Sérvia, Luxemburgo, Bulgária, Suécia, Turquemenistão, Escócia, Bélgica, Itália, Áustria, Suíça, República Checa, Eslovénia, Noruega, Bósnia e Herzegovina*, Turquia, Polónia, Chipre e República da Moldávia
*O treinador da SS Lazio, Vladimir Petković, nasceu em Sarajevo mas, mais tarde, assumiu a nacionalidade suíça  

Dispersão geográfica
Os horizontes da UEFA Europa League ampliaram-se e não apenas na origem das equipas em competição. Na última época, 3932 km separavam o clube mais a Norte do concorrente mais a Sul, o Molde FK, da Noruega, do israelita Hapoel Tel-Aviv. Com o Maccabi Tel-Aviv FC a ocupar o lugar do clube rival na posição mais austral, a entrada do Tromsø IL alargou a fronteira mais a Norte para o interior do Círculo Ártico, sendo agora a distância entre ambos de 4299 km. Em termos Ocidente-Oriente o envolvimento do Shakhter tornou esses números ainda mais extremos. Na última época, a casa do Neftçi PFK, no Azerbaijão, distava a Este 5984 km do Funchal, cidade do CS Marítimo, na ilha da Madeira. Agora, a deslocação do Karagandy ao Estoril Praia é de 6358 km, mas que serão reduzidos para 6188 km dado o Shakhter fazer os seus jogos em casa em Astana.  

Novas entradas
O Shakhter é o primeiro participante do Cazaquistão na fase de grupos, contudo é um veterano em comparação com as quatro equipas que atingiram a fase de grupos nas suas primeiras campanhas europeias. Os russos do FC Kuban Krasnodar fizeram uma boa entrada, vencendo os quatro jogos, tal e qual o Estoril, que permaneceu invicto nos quatro desafios europeus de qualificação, com três vitórias e um empate. Os romenos do CS Pandurii Târgu Jiu tiveram uma derrota nos seis jogos de qualificação, mas auferiram um crédito enorme após afastarem o Hapoel Tel-Aviv e o finalista vencido de 2011 na final da UEFA Europa League, o SC Braga. Entretanto, os estreantes ingleses do Wigan Athletic FC, acederam à fase de grupos sem competir, auferindo esse desiderato por terem conquistado a Taça de Inglaterra.

Maiores empreendedores
Com a UEFA Champions League a ser a prova de maior prestígio, não restam dúvidas sobre a qualidade das equipas a competir na UEFA Europa League, entre elas nove campeões nacionais: NK Maribor (SVN), FC Sheriff (MDA), Maccabi Tel-Aviv (ISR), PFC Ludogorets Razgrad (BUL), Legia Warszawa (POL), Shakhter (KAZ), APOEL FC (CYP), GNK Dinamo Zagreb (CRO) e IF Elfsborg (SWE). O Maribor e o Legia foram também campeões em 2012/13, enquanto as demais equipa prevaleceram nas respectivas competições nacionais de clubes para atingir esta fase: Wigan (ENG, Taça de Inglaterra), Swansea City AFC (ENG, Taça da Liga), PAOK (GRE), AZ Alkmaar (NED), FC Girondins de Bordeaux (FRA), Apollon Limassol FC (CYP), KRC Genk (BEL), Lazio (ITA), Vitória SC (POR) e Esbjerg fB (DEN).

Lugar na história 
Figurar na lista dos melhores marcadores da competição parece ser uma tarefa demasiado grande para qualquer um dos jogadores em prova esta época. Henrik Larsson, com nove golos de vantagem, permanece o líder, com Falcao e Klaas-Jan Huntelaar – ambos a competir na UEFA Champions League – logo atrás. Giuseppe Bergomi e Frank Rost parecem também seguros no topo da lista de participações, pese embora o atacante do PAOK, Dimitris Salpingidis, poder aspirar a chegar aos cinco primeiros no final da fase de grupos, somando até à data 61 partidas na Taça UEFA e na UEFA Europa League, sendo que se fizer os próximos seis jogos alcançará, aos 32 anos, Walid Badier, no quarto posto dos jogadores com mais jogos na competição.

Mais presenças na UEFA Europa League/Taça UEFA
96 Giuseppe Bergomi (FC Internazionale Milano)
90 Frank Rost (SV Werder Bremen, FC Schalke 04, Hamburger SV)
69 Walter Zenga (FC Internazionale Milano)
67 Walid Badier (Hapoel Petach-Tikva FC, Maccabi Haifa FC, Hapoel Tel-Aviv FC)
66 Enzo Scifo (RSC Anderlecht, FC Internazionale Milano, FC Girondins de Bordeaux, AJ Auxerre, Torino Calcio, AS Monaco FC)

Mais golos na UEFA Europa League/Taça UEFA
40 Henrik Larsson (Feyenoord, Celtic FC, Helsingborgs IF)
31 Falcao (FC Porto, Club Atlético de Madrid)
30 Klaas-Jan Huntelaar (sc Heerenveen, AFC Ajax, FC Schalke 04)
29 Dieter Müller (1. FC Köln, VfB Stuttgart, FC Girondins de Bordeaux)
27 Shota Arveladze (FC Dinamo Tbilisi, Trabzonspor AŞ, AFC Ajax, Rangers FC, AZ Alkmaar)

Topo