Basileia bate Tottenham nos penalties

Basel 2-2 Tottenham (total: 4-4, 4-1 nos penalties)
Dois golos de Clint Dempsey levaram o jogo a prolongamento, antes de o Basileia garantir o apuramento.

Os jogadores do Basileia festejam o triunfo, após o desempate por penalties
Os jogadores do Basileia festejam o triunfo, após o desempate por penalties ©AFP/Getty Images

Yann Sommer foi o herói do FC Basel 1893 pela segunda eliminatória consecutiva, ao voltar a defender uma grande penalidade, desta feita num triunfo sobre o Tottenham Hotspur FC por 4-1 no desempate por penalties, após uma igualdade 2-2 ao fim de 120 minutos.

Um jogo pleno de emoção foi coroado pelos golos de Clint Dempsey - que abriu o activo e, perto do final, forçou o prolongamento -, Mohamed Salah e Aleksandar Dragovic. E, apesar de os anfitriões não terem conseguido, no tempo extra, tirar partido da expulsão de Jan Vertonghen em cima do minuto 90, Sommer – que tinha já defendido um "castigo máximo" decisivo frente ao FC Zenit St Petersburg nos oitavos-de-final – brilhou a grande altura para defender o penalty de Tom Huddlestone no início do desempate por pontapés da marca de grande penalidade, antes de Emmanuel Adebayor desperdiçar, também, o seu penalty, rematando por cima da trave.

As duas equipas praticaram um futebol de grande qualidade, apesar da muita chuva que se fazia sentir, mas Dragovic acabou por acusar o estado do terreno e, ao escorregar, permitiu que um passe de Vertonghen, a meio do primeiro tempo, chegasse até aos pés de Dempsey. O internacional norte-americano ultrapassou Sommer e colocou a bola no fundo da baliza deserta.

Os adeptos da casa, porém, continuaram a apoiar a sua equipa e não tardaram a ser recompensados. Marco Streller recuperou uma bola no meio-campo do Tottenham, tocou-a para Salah e este bateu Brad Friedel com um remate de pé esquerdo, à entrada da área.

O Tottenham venceu a primeira Taça UEFA em 1972, ano em que Friedel festejou o seu primeiro aniversário, mas foi Sommer quem teve mais trabalho nos primeiros 45 minutos. O "número 1" do Basileia desviou com uma grande defesa um excelente remate em arco de Mousa Dembélé antes de segurar, com maior facilidade, a recarga de Adebayor. E, quando chegou a vez de Friedel ser chamado a intervir, quatro minutos após o arranque do segundo tempo, o guardião norte-americano conseguiu apenas defender para a frente um desvio de cabeça de Fabian Schär, permitindo que Dragovic fizesse o golo, na recarga.

Frente a Olympique Lyonnais e FC Internazionale Milano, os pupilos de André Villas-Boas tinham conseguido o apuramento ao cair do pano depois de dois enormes sustos e Dempsey deu seguimento à tradição da turma londrina ao voltar a bater Sommer já com o relógio a assinalar o minuto 83. Os "spurs", contudo, ver-se-iam forçados a disputar o prolongamento com menos um jogador, depois de Vertonghen ser expulso por derrubar Streller já para lá do minuto 90.

Em superioridade numérica, o Basileia foi a equipa mais perigosa no prolongamento, com Mohamed Elneny a acertar no poste com um forte remate a 25 metros do alvo e Alexander Frei a dispor, também, de boas oportunidades após saltar do banco no início da segunda parte do prolongamento.

Capaz de manter a cabeça mais fria no subsequente desempate por penalties, o Basileia converteu com êxito todas as suas grandes penalidades, cabendo a Marcelo Díaz a honra de bater a decisiva, já depois de Sommer ter defendido para a sua direita o penalty de Huddlestone e de Adebayor ter atirado para fora.