O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Simeone pronto para viver as emoções da final

"Ganhar é sempre fantástico", afirmou Diego Simeone, à procura de conquistar um título europeu na época de estreia no comando do Atlético, antes da final da UEFA Europa League.

Diego Simeone assumiu o comando do Atlético em Dezembro
Diego Simeone assumiu o comando do Atlético em Dezembro ©Getty Images

Diego Simeone apenas assumiu o comando do Club Atlético de Madrid em Dezembro, mas conseguiu incutir na equipa a combatividade que mostrava em campo nos tempos de jogador e agora está determinado em bater um dos seus antigos treinadores, Marcelo Bielsa, para conquistar a UEFA Europa League na quarta-feira.

"Ganhar é sempre fantástico", afirmou Simeone, cujo início de carreira como treinador aconteceu na Argentina, experiências às quais se sucederam uma breve passagem pelo Calcio Catania e a substituição de Gregorio Manzano antes do Natal de 2011. Foi um excelente regresso ao clube que representou por duas vezes como jogador e o antigo médio de 42 anos está a conseguir bons resultados.

"Talvez seja mais equilibrado como treinador", explicou ao UEFA.com. "Como jogador, podemos mais ser espontâneos e intempestivos, mas na função de treinador tenho de estar preocupado em encontrar o equilíbrio psicológico da equipa. A situação é semelhante neste momento. Há alegria, mas também há responsabilidade. É uma situação muito emotiva, só que os jogadores jogam e o treinador não. O treinador é obrigado a pensar muito mais, passo ‘25 horas’ por dia a pensar no Atlético."

Simeone ambiciona ser a terceira pessoa a conquistar o troféu como jogador e como treinador, já que também venceu a Taça UEFA de 1998 ao serviço do FC Internazionale Milano, no entanto, quer evitar distracções no embate com o Athletic Club. O técnico levou os “colchoneros” a bater a equipa de Marcelo Bielsa por 2-1, mas sabe que esse triunfo em Março não terá qualquer significado no reencontro marcado para a Arena Nacional de Bucareste.

"Temos de ser compactos e rápidos, e estar mais concentrados que num jogo do campeonato", destacou. "O facto de defrontarmos outro clube espanhol, depois de já nos termos encontrado no campeonato, também significa que as equipas se conhecem muito bem a todos os níveis. O melhor aspecto de defrontarmos outro clube da Liga é a importância que tem para o futebol espanhol."

Acima de tudo, Simeone não esconde enorme respeito pelo emblema do País Basco. "É uma equipa com grande intensidade, que joga um futebol directo, rápido e corajoso. São um conjunto que não tem medo de seguir o seu estilo, mesmo nos jogos fora de casa", explicou. "Jogaram assim durante toda a época. Conhecendo bem a equipa e o seu treinador, tenho a certeza que vão encarar todos os desafios da mesma forma, sendo um jogo particular ou uma final. Não vão mudar, são fiéis ao seu estilo."

E Simeone conhece bem a filosofia do Athletic, já que actuou quatro anos sob o comando do compatriota na selecção da Argentina e somou a última de 106 internacionalizações no Campeonato do Mundo de 2002 quando Bielsa era o seleccionador. "Como sempre disse, tenho grande admiração por ele e excelentes recordações de um grande profissional."

O antigo médio-defensivo do Sevilla FC e da S.S. Lazio não considera que o conhecimento que tem dos métodos de Bielsa lhe possa dar algum tipo de vantagem para a final – "os jogadores jogam, nós ficamos de fora" –, tal como também não dá importância ao maior palmarés do Atlético, vitorioso sobre o Fulham FC na primeira final da prova, em 2010.

"Quando chegamos a jogos como este, quem já participou numa final já sabe o que esperar, mas não tem qualquer vantagem", afirmou. "Sabem o que vão encontrar, o nervosismo, a pressão e como lidar com ela. Espero que seja assim mas, como já disse, não penso que seja decisivo para o desfecho do encontro."