O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

PSV festeja, Sampdoria fica pelo caminho

UC Sampdoria 1-2 PSV Eindhoven
A precisar de apenas um ponto, o PSV apurou-se para os 16 avos-de-final, num jogo em que Ola Toivonen bisou.

Ola Toivonen celebra o golo do empate do PSV
Ola Toivonen celebra o golo do empate do PSV ©Getty Images

Dois golos de Ola Toivonen, ambos na segunda parte, carimbaram o passaporte do PSV Eindhoven para os 16 avos-de-final da UEFA Europa League e acabaram com as esperanças da UC Sampdoria no Grupo I.

Giampaolo Pazzini marcou, de cabeça, o seu quinto golo em três jogos para colocar a equipa italiana na frente do marcador a poucos segundos do intervalo, mas após o descanso tudo mudou. Logo aos seis minutos da segunda parte, Toivonen aproveitou um erro de marcação para dar, também de cabeça, a melhor sequência a um centro de Ibrahim Afellay. O avançado bisaria para a reviravolta no período de descontos, momentos depois de Guido Marilungo, da Sampdoria, ter sido expulso.

A equipa de Génova tem sentido dificuldades para encontrar o caminho das redes - só Pazzini marcou em oito jogos desde Outubro -, mas os italianos quase acabavam com esse registo logo no início do jogo. Marilungo correu para concluir o passe de Pazzini, mas a bola embateu do lado de fora do poste.

A resposta do PSV surgiu por Toivonen, que falhou o remate quando tentava desviar o cruzamento da direita de Afellay e, pouco depois, a Sampdoria perdeu o central Stefano Lucchini por lesão. O azar não afectou a concentração da defesa transalpina, cuja principal preocupação era Balázs Dzsudzsák, e seria a Sampdoria a primeira a festejar: Reto Ziegler fugiu pelo flanco direito e cruzou na perfeição para o cabeceamento de Pazzini.

Com o primeiro lugar do grupo em risco, o PSV aumentou o ritmo na segunda metade e não demorou a tirar proveito disso quando Toivonen, solto ao segundo poste, bateu Gianluca Curci. Massimo Volta teve uma oportunidade fantástica para restaurar a vantagem italiana, mas, a dois metros da linha de golo, não conseguiu dar a melhor direcção à bola, após canto de Ziegler.

Dzsudzsák respondeu de livre directo que Curci conseguiu travar e, apesar de ser a Sampdoria a precisar de um golo para se manter na corrida pelo apuramento, eram os holandeses que pareciam mais perigosos. Curci quase deixava a bola escapar entre as mãos após remate de Dzsudzsák, mas seria Toivonen a marcar o golo da vitória do PSV perto do final.