O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Penalty de Simão salva Atlético

Club Atlético de Madrid 1-1 Bayer 04 Leverkusen
Uma grande penalidade convertida por Simão na segunda parte deu aos espanhóis uma igualdade frente aos alemães.

Paulo Assunção (Atlético de Madrid) salta com Manuel Friedrich (Bayer Leverkusen)
Paulo Assunção (Atlético de Madrid) salta com Manuel Friedrich (Bayer Leverkusen) ©Getty Images

O treinador do Bayer Leverkusen, Jupp Heynckes, viu por duas vezes, durante a época 1997/98, a sua equipa do Real Madrid CF empatar 1-1 ante o Club Atlético de Madrid e, após a igualdade pelo mesmo resultado desta quinta-feira, o conjunto alemão que agora dirige soma já quatro pontos no Grupo B da UEFA Europa League, mais três que os detentores do troféu.

Invicto nos últimos 14 encontros em casa na Taça UEFA/UEFA Europa League, o Atlético deu a ideia, no início da partida, de que dificilmente conseguiria aumentar essa série de jogos, uma vez que os visitantes pareciam bem mais ameaçadores no ataque. Um livre directo de Eren Derdiyok em posição frontal colocou David de Gea em apuros, embora a bola tivesse passado ao lado e, instantes depois, o veloz Sidney Sam acelerou em direcção à área "colchonera", antes de rematar por cima da trave.

Com os anfitriões a encontrarem grandes dificuldades para criarem perigo no último reduto do Leverkusen, a equipa agora dirigida pelo ex-técnico alemão do Benfica acercou-se da área dos madrilenos e chegou mesmo ao golo. Um canto de Tranquillo Barnetta colocou a defesa do Atlético em apuros, Sami Hyypiä desviou a bola para o poste mais distante e Filipe Luís, a tentar o alívio, fez com que o esférico embatesse no poste da própria baliza. Finalmente, a bola sobrou para Derdiyok, que marcou na recarga.

Receando uma segunda derrota consecutiva na fase de grupos, após o desaire na jornada anterior, na Grécia, o ex-treinador espanhol do Benfica, Quique Sánchez Flores, decidiu mudar o "xadrez" ao intervalo, colocando em campo os suplentes Tiago e Fran Mérida. Este último causou logo perigo, ao ser derrubado na área por Hyypiä. Chamado à conversão da grande penalidade entretanto assinalada, Simão rematou a contar, fazendo a bola embater num poste antes de se colar às redes.

Reanimados pelos rejuvenescido apoio dos adeptos, os "rojiblancos" continuaram a atacar, à procura do golo que lhes desse a vitória. Um cruzamento perigoso de Tomáš Ujfaluši viu o guardião René Adler sacudir a bola por cima e, instantes depois, o defesa checo serviu Reyes que, em boa posição, cabeceou ao lado. Com o falhanço do extremo espanhol terminaram as oportunidades do Atlético, que assim permaneceu atrás do Leverkusen na classificação.