Cassano faz Roma sonhar

O regresso à equipa de Antonio Cassano, depois de resolvida a sua questão contratual, aumentou as esperanças de os romanos vencerem a Taça UEFA.

As esperanças da AS Roma em vencer a Taça UEFA pela primeira vez na sua história ganharam um forte alento após o regresso à equipa do avançado Antonio Cassano, que colocou fim a uma grande querela relativamente à sua situação contratual.

Regresso positivo
O internacional italiano de 23 anos ainda não renovou o contrato, que termina no final da época, mas o clube decidiu reintegrá-lo na equipa. Essa decisão provou ser a melhor, pois, na semana passada, Cassano marcou no empate a uma bola frente ao RC Strasbourg, no Stadio Olimpico.

Segundo lugar
O avançado, autor de 37 golos em 116 jogos na Serie A pelos romanos, deverá começar de início o terceiro jogo da equipa no Grupo E, em Belgrado, ante o FK Crvena Zvezda, agendado para quinta-feira. Os "giallorossi" estão no segundo posto do grupo, com quatro pontos em dois jogos.

Elogios do treinador
"Cassano está a fazer o que está certo", disse o treinador da Roma, Luciano Spalletti, após o empate (1-1) com a ACF Fiorentina, no domingo, partida em que o avançado alinhou. "Se continuar assim, não terá problemas comigo. Ele é um grande jogador e será muito útil à equipa".

Decisão difícil
Spalletti, no entanto, não lamenta ter deixado Cassano de fora da equipa até à semana passada. "Não penso que perdemos com a sua ausência", disse. "Acho que o comportamento de um jogador fora do campo é um factor decisivo e tomei aquela que pensei ser a melhor decisão, sem ser influenciado pelo clube".

Caminho certo
"Precisamos de jogadores que estejam dispostos a sacrificarem-se pela equipa", acrescentou. "Agora, Cassano está a treinar no duro e está a começar a pensar e a actuar como um qualquer elemento do grupo. Se continuar assim, vou mantê-lo na equipa, porque não há dúvidas quanto ao seu talento".

Relutância
Olhado como um dos maiores talentos do futebol, desde que, aos 17 anos, marcou um golo fantástico frente ao FC Internazionale Milano, pelo clube da sua terra, o AS Bari, Cassano assinou, em 2001, pela Roma, que pagou 28,5 milhões de euros pelo seu concurso. É, por isso, sem surpresa, a enorme relutância da Roma em ver um jogador deste talento sair da equipa a custo zero, no final da época.

Lippi atento
O seleccionador italiano, Marcello Lippi, está satisfeito por ver Cassano de volta aos relvados. "Temos ainda sete meses até à fase final do Campeonato do Mundo”, afirmou. "Se o Cassano jogar nesse período, certamente estará na minha lista dos que vão à Alemanha".

Muita ambição
Cassano apenas jogou duas vezes pelos "azzurri" desde que marcou à Suécia e Bulgária no UEFA EURO 2004™. Nascido no dia seguinte à vitória da Itália no Mundial de 1982, o avançado espera ajudar o seu país a trazer o troféu de volta ao país. Para já, ganhar a Taça UEFA com a Roma seria um bom começo.