O "site" oficial do futebol europeu

Despedida suíça em beleza

Publicado: Segunda-feira, 16 de Junho de 2008, 0.45CET
Suíça 2-0 Portugal
No adeus à prova, Hakan Yakin marcou os dois golos da primeira vitória helvética num Europeu.
Despedida suíça em beleza
Hakan Yakin bisou para a Suíça ©Getty Images

Estatísticas dos jogos

SuíçaPortugal

Golos marcados2
 
0
Remates à baliza9
 
5
Remates para fora5
 
2
Cantos5
 
2
Faltas cometidas26
 
27
Cartões amarelos4
 
4
Cartões vermelhos0
 
0

Classificação

Legenda:

J: Jogados   
Pts: Pontos   
: teams currently qualified for the final tournament   
: teams running for the play-offs   
Última actualização: 05/06/2015 20:43 CET
Publicado: Segunda-feira, 16 de Junho de 2008, 0.45CET

Despedida suíça em beleza

Suíça 2-0 Portugal
No adeus à prova, Hakan Yakin marcou os dois golos da primeira vitória helvética num Europeu.

A Suíça conseguiu a primeira vitória num Campeonato da Europa ao derrotar Portugal por 2-0, no St. Jakob-Park, em Basileia. Hakan Yakin marcou os dois tentos na etapa complementar, o segundo dos quais de penalty.

Com tudo já decidido, os dois seleccionadores optaram por fazer várias alterações nos respectivos conjuntos relativamente aos embates da segunda jornada. Jakob Kuhn, que se despedia do comando técnico dos helvéticos, trocou o guarda-redes Diego Benaglio por Pascal Zuberbühler e ainda Tranquillo Barnetta por Johan Vonlanthen. Já Luiz Felipe Scolari foi mais radical, tendo apenas mantido Ricardo, Pepe e Paulo Ferreira entre os titulares. Assim, Miguel, Bruno Alves, Miguel Veloso, Raul Meireles, Fernando Meira, Nani, Ricardo Quaresma e Hélder Postiga foram titulares pela primeira vez na prova, sendo que Miguel, Bruno Alves, Miguel Veloso e Hélder Postiga cumpriram os seus primeiros minutos na competição.

Os primeiros dez minutos foram disputados numa toada morna e a melhor ocasião de golo surgiu aos sete minutos, quando Quaresma cruzou do lado esquerdo para um cabeceamento de Postiga por cima da trave. No entanto, o árbitro consideraria que o ponta-de-lança se encontrava em posição irregular. Esse lance pareceu despertar ambas as equipas, pois seguiram-se uma oportunidade para a Suíça, com Valon Behrami a rematar para uma defesa de Ricardo, e duas ocasiões para Portugal, ambas por intermédio dos defesas-centrais. Pepe, que marcou à Turquia, rematou de calcanhar para o desvio do guardião Zuberbühler, que também deteve um cabeceamento de Bruno Alves.

O ritmo aumentou, pese embora o elevado número de faltas cometidas e, na resposta a um disparo de longa distância de Gökhan Inler que Ricardo sacudiu pela trave, Nani serviu Postiga, que, em boa posição, ao tentar colocar a bola fora do alcance do guarda-redes adversário, acertou em Philippe Senderos. O defesa-central do Arsenal subiu, aos 28 minutos, à área contrária e só por muito pouco não chegou nas melhores condições ao livre de Hakan Yakin. O número 10 dos helvéticos também tentou a sua sorte aos 31 minutos, mas Ricardo efectuou uma excelente defesa ao cabeceamento do dianteiro. Foi também de canto que Portugal voltou a causar perigo, com um cabeceamento por cima da trave de Postiga, dianteiro que viria a bater Zuberbühler aos 36 minutos, tendo o lance sido anulado por fora-de-jogo do número 23.

Os últimos cinco minutos do primeiro tempo trouxeram nova estreia nesta fase final, quando, aos 41 minutos, Jorge Ribeiro rendeu Paulo Ferreira, que entretanto vira um cartão amarelo, no lado esquerdo da defesa. E os primeiros cinco do segundo tempo tiveram como principal ponto de interesse outro forte remate de Inler defendido com os punhos por Ricardo. Portugal ripostou por Nani, aos 53 m, que se isolou e rematou ao poste e ainda, aos 58 m, por Quaresma, que obrigou Zuberbühler a defesa apertada.

Inler ainda fez a bola beijar o poste direito da baliza de Ricardo e, numa altura em que a Suíça dominava, Scolari lançou João Moutinho em campo para tentar controlar o meio-campo, mas, na jogada seguinte, os suíços conseguiram, finalmente, o golo, com uma tabela de Eren Derdiyok a deixar Yakin isolado perante Ricardo e a rematar por entre as pernas do guardião luso. Entretanto, a entrada de Hugo Almeida nada trouxe de novo à selecção portuguesa, que viria a sofrer novo golo, aos 83 minutos, de novo da autoria de Yakin, desta vez de grande penalidade, a punir falta do capitão Meira sobre Barnetta. Para a Suíça e o seu seleccionador, foi a melhor despedida possível.

Última actualização: 01-02-12 14.40CET

http://pt.uefa.com/uefaeuro/season=2008/matches/round=15093/match=300698/postmatch/report/index.html#suica+desepede+alta