Quartos-de-final - 25-06-2000 - 20:45CET (20:45 Hora local) - Jan Breydelstadion - Bruges
1-2
 

Espanha - França 1-2 - 25-06-2000 - Página do jogo - UEFA EURO 2000

O "site" oficial do futebol europeu

França vence fúria espanhola

Publicado: Segunda-feira, 6 de Outubro de 2003, 12.14CET
Espanha 1-2 França
Golos de Zinédine Zidane e Youri Djorkaeff colocaram os campeões do Mundo nas meias-finais.
França vence fúria espanhola
Youri Djorkaeff rejubila após o seu golo ©Getty Images

Estatísticas dos jogos

EspanhaFrança

Golos marcados1
 
2
Cartões amarelos4
 
1
Cartões vermelhos0
 
0

Classificação

Publicado: Segunda-feira, 6 de Outubro de 2003, 12.14CET

França vence fúria espanhola

Espanha 1-2 França
Golos de Zinédine Zidane e Youri Djorkaeff colocaram os campeões do Mundo nas meias-finais.

A aposta francesa em juntar a coroa europeia à mundial continuou, desta vez à custa da Espanha, que vendeu cara a derrota.

Os franceses, sem Anelka, no ataque, usaram apenas Thierry Henry como único ponta-de-lança, com apoio de Youri Djorkaeff e Christophe Dugarry nos flancos. Tiveram a primeira oportunidade logo aos dois minutos, quando Pierluigi Collina assinalou falta de Pedro Munitis sobre Lilian Thuram à entrada da área. Zinédine Zidane, na transformação, colocou a bola na cabeça de Patrick Vieira, mas o remate passou por cima.

A Espanha começou a ter mais posse de bola, embora a França fosse mais perigosa e criasse mais oportunidades de golo. Henry passou por Michel Salgado, Gaizka Mendieta e Ivan Helguera e rematou a 16 metros da baliza, mas não levou perigo. Depois, ao quarto-de-hora, Didier Deschamps passou por Josep Guardiola e, à entrada da grande área, serviu Dugarry, mas o forte remate de cabeça passou por cima da barra.

Fabien Barthez foi chamado a intervir para negar a vantagem à Espanha ao defender a soco na linha de golo um livre directo de Guardiola aos 17 minutos. Na outra baliza Dugarry fez um passe a rasgar para Djorkaeff, que devolveu o passe, mas o remate de Dugarry parou nas mãos de Cañizares. Quatro minutos mais tarde, Alfonso Pérez descobriu Raúl, que vendo Barthez adiantado à saída da pequena área, tentou o chapéu, mas o guardião francês recuou a tempo para evitar o golo, defendendo para canto. Na sequência, os espanhóis pediram penalty alegando que o cruzamento de Guardiola terá batido no cotovelo de Zidane.

Zidane foi presenteado com uma grande ocasião para abrir o activo, quando apareceu desmarcado na área para finalizar o passe de Dugarry, mas não conseguiu acertar na bola. Redimiu-se aos 32 minutos quando disparou de pé direito ao canto superior esquerdo, um livre directo após falta de Agustín Aranzabal sobre Djorkaeff. A Espanha reagiu de imediato e Mendieta, de penalty, aos 38 minutos, empatou, após falta de Thuram sobre Munitis. A França chegou ao intervalo a vencer, quando uma grande arrancada de Vieira foi culminada com uma superior finalização de Djorkaeff que, após receber a bola à entrada da área, embalou para "fuzilar" Santiago Cañizares com um remate a dez metros.

Alfonso bem se esticou para dominar o cruzamento de Munitis logo após o reinicio, mas Barthez foi rápido a ir ao chão e recolher a bola. A França optou então por uma postura mais defensiva até meio da segunda parte, altura em que Vieira aliviou de cabeça um livre de Guardiola. Do consequente canto, Guardiola lançou um traiçoeiro remate a 25 metros, mas a bola ressaltou em Marcel Desailly e o perigo passou. Salgado foi obrigado a fazer o mesmo do outro lado negando o golo a Vieira, e Djorkaeff disparou um livre a 30 metros que foi defendido para canto, antes de o encontro positivamente "explodir" nos últimos minutos.

O árbitro apontou a marca dos 11 metros quando Barthez derrubou Abelardo Fernández. Parecia que o jogador que ganhara o penalty da Espanha contra a Jugoslávia e que qualificou a equipa quatro dias antes tinha mantido a esperança viva. No entanto, Mendieta, que marcara esse penalty, já tinha saído, e Raúl González assumiu a responsabilidade, mas rematou por cima. Ainda houve tempo para a Espanha ter uma derradeira oportunidade de golo, mas o remate de cabeça, do recém-entrado Ismael Urzaiz, passou por cima da barra, ficando assim a França com uma merecida vitória.

Última actualização: 21-06-12 16.10CET

http://pt.uefa.com/uefaeuro/season=2000/matches/round=1459/match=65182/postmatch/report/index.html#franca+mais+forte