O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Bélgica - Rússia: retrospectiva do UEFA EURO 2020, factos e estatísticas

Tendo derrotado por duas vezes a Rússia na qualificação, incluindo um triunfo por 4-1 em São Petersburgo, a Bélgica estará motivada para o seu jogo de abertura do Grupo B.

A Bélgica festeja contra a Rússia em São Petersburgo, em 2019
A Bélgica festeja contra a Rússia em São Petersburgo, em 2019 UEFA via Getty Images

Bélgica e Rússia voltam a defrontar-se no jogo de abertura do Grupo B do UEFA EURO 2020, depois de o terem feito no mesmo grupo na fase de qualificação, numa partida em que os Diabos Vermelhos levaram claramente a melhor.

• A Bélgica aumentou o seu registo invicto contra a Rússia para sete jogos (V5 E2), com duas vitórias na qualificação pelo caminho que a ajudaram a vencer o Grupo I, com o máximo de 30 pontos – mais seis a mais que a Rússia, segunda classificada.

• No entanto, embora esta seja a quinta presença consecutiva da Rússia no Campeonato da Europa da UEFA, a Bélgica está apenas no seu segundo EURO consecutivo pela primeira vez desde 1984. A sua participação no UEFA EURO 2016 foi a primeira na prova em 16 anos.

Confrontos anteriores

• A Bélgica está de volta ao Estádio de São Petersburgo, onde venceu a Rússia por 4-1, a 16 de Novembro de 2019, na penúltima partida de apuramento para o UEFA EURO 2020. Depois que Thorgan Hazard abrir o marcador, o irmão Eden marcou mais dois golos na primeira parte, com Romelu Lukaku a manter o seu registo de marcar em todos os jogos que disputou na qualificação, a 18 minutos do fim. Esta foi a primeira vez que a Rússia sofreu quatro golos em casa numa jogo oficial, que teria também o primeiro golo internacional de Georgi Dzhikiya, que serviu apenas de consolação para os anfitriões.

Resumo: Rússia 1-4 Bélgica
Resumo: Rússia 1-4 Bélgica

• A Bélgica de Roberto Martínez começou a sua qualificação com uma vitória por 3-1 contra a Rússia de Stanislav Cherchesov no Estádio King Baudouin, em Bruxelas, a 21 de Março de 2019. Eden Hazard marcou novamente duas vezes depois de, no minuto 14, Youri Tielemans ter inaugurado o marcador - no seu tento de estreia pela selecção - que teria resposta dois minutos depois pelo russo Denis Cheryshev. Os visitantes terminaram com dez homens, com Aleksandr Golovin a ver o segundo cartão amarelo, aos 90.

• As equipas defrontaram-se duas vezes em fases de grupos de Campeonatos do Mundo da FIFA e, em ambas as ocasiões, a Bélgica venceu. Uma equipa treinada por Marc Wilmots derrotou a Rússia, de Fabio Capello, por 1-0, no Rio de Janeiro, na edição de 2014 da prova, graças ao primeiro golo internacional de Divock Origi, a dois minutos do final.

• Seria o mesmo Wilmots o autor do tento decisivo no jogo disputado no Mundial 2002, com uma vitória por 3-2 em Shizuoka, no Japão.

Resumo: Bélgica 3-1 Rússia
Resumo: Bélgica 3-1 Rússia

• Os outros jogos entre as duas formações foram particulares, registando-se um 3-3 em Sochi, a 28 de Março de 2017, em que Christian Benteke marcou duas vezes para os visitantes - enquanto Lukaku marcou os seus dois primeiros golos internacionais na vitória da Bélgica por 2-0 em Krasnodar, a 17 de Novembro de 2010.

• A União Soviética venceu quatro dos cinco encontros frente à Bélgica – incluindo a fase de grupos do Mundial de 1970 (4-1) e 1982 (1-0) – embora os Red Devils tenham vencido o último, por 4-3, após prolongamento, nos oitavos-de-final no Mundial de 1986. O golo de Nico Claesen, aos 102 minutos, resolveu a contenda, apesar do "hat-trick" de Igor Belanov para a URSS.

Factos do EURO: Bélgica

• Esta é a segunda presença consecutiva em fases finais de Campeonatos da Europa da UEFA da Bélgica e o sexto EURO no total.

• O maior feito dos Diabos Vermelhos até hoje foi a presença na final da edição do torneio em 1980, quando perdeu por 2-1 ante a Alemanha Ocidental, em Roma.

• Em 2016, a primeira fase final da EURO da Bélgica desde que co-organizou o UEFA EURO 2000 com a Holanda, uma equipa treinada por Wilmots terminou em segundo o Grupo E e venceu a Hungria por 4-0 nos oitavos-de-final – a sua maior vitória num EURO –, tendo sido eliminada nos quartos-de-final ao perder por 3-1 contra o País de Gales.

Veja Mpenza dar a vitória à Bélgica em 2000
Veja Mpenza dar a vitória à Bélgica em 2000

• Desta vez, a equipa de Martínez venceu todas as dez partidas de qualificação e terminou em primeiro no Grupo I, aumentando o número de países que chegaram à fase final com um registo perfeito para oito, com a Itália a fazer o mesmo na caminhada para o UEFA EURO 2020. Dos seis conjuntos que no passado fizeram o pleno, apenas a Espanha (2012) venceria a competição.

• A vitória por 9-0 contra San Marino, a 10 de Outubro de 2019, é a maior vitória da Bélgica num Campeonato da Europa da UEFA.

• A Bélgica foi a formação mais realizadora da qualificação, ao somar 40 golos nas dez partidas. Quinze jogadores diferentes da Bélgica marcaram no apuramento.

• Os Diabos Vermelhos sofreram apenas três golos, o melhor registo, em conjunto com a Turquia.

Todos os golos da Bélgica a caminho do EURO 2020
Todos os golos da Bélgica a caminho do EURO 2020

• Eden Hazard e Kevin De Bruyne fizeram sete assistências na qualificação, menos uma que Memphis Depay, da Holanda. Hazard marcou cinco golos e De Bruyne quatro; Lukaku marcou sete golos e fez quatro assistências.

• Este é o quarto jogo da Bélgica em São Petersburgo, onde perdeu por 1-0 ante a França na meia-final do Mundial de 2018, mas venceria a Inglaterra por 2-0 no jogo para o terceiro lugar, quatro dias depois, graças aos golos de Thomas Meunier e Eden Hazard.

Factos do EURO: Rússia

• Esta é a quinta presença consecutiva da Rússia na final do EURO e o sexto em sete como nação independente. Disputou oito das últimas nove edições do EURO, contando com esta edição, depois participar como União Soviética em 1988 e Comunidade de Estados Independentes, quatro anos depois, antes da sua estreia como Rússia, em 1996.

• A União Soviética venceu o primeiro Campeonato da Europa da UEFA, em 1960, e foi vice-campeã em 1964, 1972 e 1988. O melhor desempenho da Rússia desde a independência foi em 2008, quando chegou às meias-finais – a única vez que passou para lá da fase de grupos.

• Em 2016, uma equipa treinada por Leonid Slutski terminou no último posto do Grupo B, conquistando o seu único ponto no empate 1-1 com a Inglaterra, na primeira jornada. Depois, perdeu com Eslováquia (1-2) e País de Gales (0-3).

• A Rússia está há cinco jogos sem vencer em fases finais do EURO (E2 D3); a sua última vitória foi a goleada por 4-1 sobre a República Checa no seu jogo de abertura do UEFA EURO 2012. Este é o seu único triunfo nos últimos sete jogos da fase final do EURO (E2 D4).

• A equipa de Cherchesov apurou-se para o UEFA EURO 2020 como segunda classificada do Grupo I, perdendo os dois jogos para a primeira classificada Bélgica, vencendo os restantes oito encontros. Tal como a Bélgica, também a Rússia não sofreu golos em sete jogos.

• Artem Dzyuba marcou nove golos e fez cinco assistências na qualificação, o que significa que esteve directamente envolvido em 42% dos 33 golos da Rússia.

Grandes golos da Rússia
Grandes golos da Rússia

• O registo da Rússia em São Petersburgo desde 1992 é de V10 E1 D3. Venceu nove partidas consecutivas na cidade antes de empatar 3-3 com a Espanha, num particular jogado em Novembro de 2017, mas somou apenas uma vitória e duas derrotas desde então, incluindo a derrota por 4-1 contra a Bélgica, a 16 de Novembro de 2019.

Ligações e curiosidades

• O seleccionador da Rússia Cherchesov esteve 45 minutos na baliza no particular que terminou empatado 0-0 ante a Bélgica, em Abril de 1996.

• Ilzat Akhmetov e o suplente utilizado Fedor Chalov estrearam-se pela Rússia na derrota por 3-1 contra a Bélgica, em Março de 2019.

• Axel Witsel jogou em São Petersburgo pelo Zenit entre 2012 e 2016, ganhando a Premier League russa em 2014/15, bem como a Taça da Rússia e a Supertaça na temporada seguinte.

• Jogaram juntos:

Youri Tielemans, Nacer Chadli e Aleksandr Golovin (Mónaco 2018/19)

• Thibaut Courtois e Yuri Zhirkov foram breves colegas de equipa no Chelsea no Verão de 2011, após o guardião belga ter ingressado no clube vindo do Genk e antes de Zhirkov rumar ao Anji.