O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Capitães de Alemanha e Itália apoiam campanha

Philipp Lahm e Gianluigi Buffon, capitães de Alemanha e Itália, anunciaram as suas mensagens de apoio ao esforço continuado da UEFA para eliminar o racismo e a intolerância do futebol.

O capitão da Itália, Gianluigi Buffon, transmite a sua mensagem Respeita a Diversidade
O capitão da Itália, Gianluigi Buffon, transmite a sua mensagem Respeita a Diversidade ©UEFA

Os capitães das selecções da Alemanha e da Itália, Philipp Lahm e Gianluigi Buffon, respectivamente, apoiaram a campanha contra o racismo endereçando mensagens antes da meia-final do UEFA EURO 2012, na quinta-feira, em Varsóvia.

As mensagens de Lahm e Buffon enfatizaram o trabalho levado a cabo para eliminar o racismo e a intolerância do futebol. A acção faz parte do programa Respeita a Diversidade para o UEFA EURO 2012, que a UEFA está a organizar em parceria com o seu parceiro na campanha anti-racismo há mais de dez anos, a rede FARE, e o parceiro regional, a Associação Never Again.

"Estou orgulhoso por liderar o meu país neste jogo importante do UEFA EURO 2012", disse Buffon. "Os meus colegas e eu somos contra qualquer tipo de discriminação. Somos uma equipa, independentemente de religião ou etnia. É por isso que apoiamos a mensagem Respeita a Diversidade, da UEFA, e pedimos a todos no futebol para se juntarem a nós".

Lahm acrescentou: "As últimas três semanas mostraram como o futebol pode reunir as pessoas que partilham a mesma paixão. Nacionalidade, religião, género ou orientação sexual não têm nada a ver com isso. Os meus colegas e eu, como capitão da selecção alemã, pedimos-vos para se juntarem a nós na rejeição de todo o tipo de discriminação e no apoio à mensagem Respeita a Diversidade, da UEFA".

Os capitães de Espanha e Portugal, Iker Casillas e Cristiano Ronaldo, leram mensagens semelhantes apelando ao respeito à diversidade, na primeira meia-final, na quarta-feira, em Donetsk.