O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Amigáveis antes do EURO: Jogadores que querem deixar marca

Renato Sanches, Mario Götze, Aritz Aduriz e Jamie Vardy figuram na nossa lista de jogadores com razões especiais para deixar marca a tempo do UEFA EURO 2016.

Renato Sanches de olho no EURO 2016
Renato Sanches de olho no EURO 2016 ©AFP/Getty Images

Mario Götze, Alemanha e Bayern München
Actualmente a tentar deixar a sua marca no Bayern, o criativo de 23 anos vai, certamente, querer a aproveitar a pausa para os compromissos das selecções para tentar afirmar-se.

Artiz Aduriz, Espanha e Athletic Club
O avançado de 35 anos tem tido bons desempenhos no País Basco tendo sido chamado para a selecção espanhola pela primeira vez desde a sua solitária anterior participação, em Outubro de 2010. Tem uma oportunidade genuína para reivindicar um lugar na selecção que Vicente del Bosque vai levar ao UEFA EURO 2016.

Jamie Vardy, Inglaterra e Leicester
Segundo melhor marcador na Prenier League, o atacante Vardy apenas no último Verão fez a sua estreia a internacional – com 28 anos de idade. Com o capitão Wayne Rooney de fora devido a lesão, esta parece ser a oportunidade para Vardy mostrar que esta não está a ser uma época atípica mas sim um começo tardio que pode levá-lo ao maior dos palcos. 

Vejo o livre directo memorável de Selçuk İnan

Selçuk İnan, Turquia e Galatasaray
O médio autor do golo tardio contra a Islândia, em Outubro, levou a Turquia ao EURO e está a caminho de completar a 50ª internacionalização, contra a Suécia, em Antalya, no dia 24 de Março.

Renato Sanches, Portugal e Benfica
O médio de 18 anos tem causado enorme sensação esta temporada. Não se tendo ainda estreado na selecção principal de Portugal, figura nas escolhas de Fernando Santos para os amigáveis com a Bulgária e a Bélgica – isto apesar de nem sequer ter ainda alinhado pela selecção Sub-21. "Teremos toda a semana para o vermos; não vamos criar muita pressão sobre ele", afirmou Santos.

Dmitri Payet, França e West Ham
Tendo trocado no último Verão o Marselha pela Leste de Londres não demorou muito a afirmar-se, ajudando o West Ham a subir até ao quinto lugar e a atingir os quartos-de-final da Taça de Inglaterra. No entanto, o regresso do criativo de 28 anos à selecção gaulesa demorou mais tempo – Payet foi internacional pela primeira vez em 2010 somando 15 jogos pela selecção, mas nenhum desde Junho de 2015.

Veja cinco dos melhores golos da França em jogos amigáveis

Matěj Vydra, República Checa e Reading
O seleccionador da República Checa, Pavel Vrba observou recentemente Vydra e gostou do que viu, apesar do avançado de 23 anos – que em Outubro de 2014 somou a última das suas 15 internacionalizações – não ser um habitual titular na equipa da segunda divisão inglesa.

Marcus Berg, Suécia e Panathinaikos
O seleccionador Erik Hamrén vai deixar a estrela Zlatan Ibrahimović de fora do amigável de quinta-feira com a Turquia. "Vou dar-lhe um descanso. Vai ser bom para ele e também bom para a equipa", explicou o técnico. John Guidetti deverá alinhar de início no lugar do atacante do Paris Saint-Germain, mas Berg – ou talvez o gigante Emir Kujović – poderão ter oportunidade de mostrar que são mais do que meras opções de recurso.

Nicolae Stanciu, Roménia e Steaua Bucureşti
Com 11 golos apontados, o médio ainda não internacional, de 22 anos, está a desfrutar da sua melhor época na primeira divisão da Roménia. Antigo internacional Sub-21, chamado numa ocasião, tem acrescentado esta época consistência ao seu jogo.

Alfred Finnbogason (à direita) tem estado em forma
Alfred Finnbogason (à direita) tem estado em forma©Getty Images

Alfred Finnbogason, Islândia e Augsburgo
Autor de um golo contra o Dortmund no fim-de-semana, Finnbogason tem mostrado que a sua transferência de Inverno para o clube alemão pode ter sido a mais adequada depois de passagens pouco felizes pela Real Sociedad e Olympiacos.

Bartosz Salamon, Polónia e Cagliari
Em 2007, com apenas 16 anos, Salamon deixou a Polónia para ingressar nos italianos do Bréscia, tornando-se em 2013 no primeiro futebolista polaco a assinar pelo AC Milan. Com o seleccionador Adam Nawałka à procura de uma parceria no centro da defesa para Kamil Glik, Salamon sabe que a sua hora chegou.     

Martin Škrtel tem recebido algumas críticas
Martin Škrtel tem recebido algumas críticas©AFP/Getty Images

Martin Škrtel, Eslováquia e Liverpool
A tentar recuperar a boa forma após três meses lesionado, Škrtel foi apontado como um dos responsáveis pela recente derrota do Liverpool frente ao Southampton. O seleccionador Ján Kozák foi célere a defendê-lo: "A culpa foi de todos. O Martin é um jogador experiente, que está no clube há nove anos".

Mërgim Mavraj, Albânia e Colónia
Ausente da selecção durante cerca de um ano, por lesão, a boa forma que atravessa no Colónia pode ajudar a conferir estabilidade à defesa albanesa, perdida enquanto esteve de fora.

Denys Garmash, Ucrânia e Dínamo Kiev
Apesar de ser um elemento importante na selecção, esta época tem faltado alguma consistência exibicional a Garmash, que terá de enfrentar a concorrência do jovem Viktor Kovalenko, em bom momento de forma, na luta pela titularidade.

Leonid Slutski escolherá Roman Shirokov?
Leonid Slutski escolherá Roman Shirokov?©AFP/Getty Images

Roman Shirokov, Rússia e CSKA
Shirokov completa 35 anos este Verão, mas a época tem sido para esquecer até ao momento, com pouco tempo de jogo nos moscovitas do Spartak e do CSKA. Com a luta a ser intensa pela posição de médio-ofensivo, Leonid Slutski apenas convocará Shirokov com base no seu passado ilustre.

Conor Washington, Irlanda do Norte e Queens Park Rangers
Nascido em Inglaterra mas com uma avó natural de Belfast, Washington é a inclusão-surpresa na convocatória de Michael O'Neill, onde é, juntamente com Michael Smith, o único jogador sem internacionalizações.