O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Ødegaard em êxtase após quebrar recorde

Martin Ødegaard, da Noruega, mostrou-se sorridente após tornar-se no jogador mais jovem a alinhar na qualificação do EURO, com 15 anos e 300 dias: "É engraçado ter o recorde."

Norway 2-1 Bulgaria

Martin Ødegaard torna-se no mais jovem jogador a alinhar na fase de qualificação de um EURO
Jogador de 15 anos descreve a sua entrada na vitória da Noruega como uma "grande sensação"
Seleccionador da Noruega, Per-Mathias Høgmo, diz que é uma "vitória merecida" 
Luboslav Penev longe de estar desanimado, apesar da segunda derrota consecutiva da Bulgária
Próximos jogos: Azerbaijão - Noruega, Bulgária - Malta (16 de Novembro)

Martin Ødegaard, médio da Noruega
Foi uma sensação indescritível jogar em casa, diante de uma assistência tão grande, e ainda para mais somámos os três pontos. Tudo foi excelente. Estava nervoso quando entrei em campo, mas quando se tem uma oportunidade destas é preciso tentar desfrutar. É engraçado ter o recorde. Ao mesmo tempo, é difícil descrever o que me tem acontecido este ano. Limito-me a dar o meu melhor e desfrutar o momento.

Per-Mathias Høgmo, seleccionador da Noruega
Realizámos uma primeira parte muito boa. Na segunda tivemos algumas oportunidades em contra-ataque. Foi um triunfo merecido. Nos últimos dois jogos permitimos apenas uma ocasião de golo aos nossos adversários – isso é algo bastante impressionante.

Um recorde pronto a ser batido ...
Um recorde pronto a ser batido ...©Getty Images

O Håvard [Nielsen] esteve bem no remate, e fico satisfeito por ver que o nosso trabalho árduo para formar bons avançados está a resultar.

Luboslav Penev, seleccionador da Bulgária
Perdemos dois dos nossos três primeiros jogos, mas penso que ainda estamos na luta pelo terceiro lugar, e vamos lutar por ele com a Noruega. Não creio que tenhamos perdido o jogo na primeira parte, que terminámos bem. Iniciámos a segunda ainda melhor, a diferença é que eles aproveitaram as oportunidades, e nós não.