Rebrov e Mourinho satisfeitos com empate

Serhiy Rebrov salientou que a exibição do Dínamo ante o Chelsea "só merecia elogios", enquanto José Mourinho mostrou satisfação pelas melhorias defensivas dos londrinos.

Eden Hazard mostra a sua frustração depois de o Chelsea desperdiçar mais uma ocasião de golo em Kiev
Eden Hazard mostra a sua frustração depois de o Chelsea desperdiçar mais uma ocasião de golo em Kiev ©Getty Images
  • Dínamo e Chelsea ficam-se pelo nulo no Grupo G, na Ucrânia
  • Serhiy Rebrov particularmente satisfeito com a actuação dos seus pupilos no segundo tempo
  • José Mourinho contente por o Chelsea não ter sofrido golos pelo segundo jogo consecutivo, todas as competições incluídas

Serhiy Rebrov, treinador do Dínamo
Estou feliz com a forma como nos exibimos diante de uma grande equipa. Os meus jogadores só merecem elogios. Talvez tenham tido algum excesso de timidez no primeiro tempo e não tivessem acreditado o suficiente. Mas na segunda parte estiveram realmente bem, apesar de terem permitido que o adversário criasse algum perigo em contra-ataque.

Somámos apenas um ponto na recepção aos nossos principais rivais no grupo, mas tratam-se de equipas de qualidade, frente às quais um empate, mesmo em casa, tem de ser visto como um resultado positivo. Esta noite enfrentámos o campeão de Inglaterra, uma equipa repleta de grandes jogadores em todas as posições. Foi pena não termos ganho, agora vamos ter de ir buscar pontos fora. Admito que o Chelsea dispôs das melhores oportunidades, mas os meus jogadores trabalharam muito e jogaram para ganhar. Estão de parabéns.

José Mourinho, treinador do Chelsea
Vejo progressos na minha equipa. Enviámos duas bolas aos postes e fomos sólidos a defender diante de uma equipa perigosa. Perder este jogo teria sido muito mau para nós. Realizámos uma boa exibição e controlámos o jogo durante 70 a 75 minutos.

Tivemos a iniciativa de jogo, acertámos nos ferros, fizemos tudo bem, mas não conseguimos marcar, pelo que considero o resultado aceitável. Mantemo-nos numa boa posição, pois agora vamos receber o Dínamo e eles ainda têm de ir ao Porto.

Nunca é fácil defrontar equipas ucranianas, pois são sempre muito fortes fisicamente, com jogadores capazes de transportar a bola e perigosos nas bolas paradas. Para além disso, o Dínamo esteve muito bem também a defender. Nos últimos 15 minutos eles sentiram que podiam marcar, por isso nós tivemos de arriscar menos e segurar o resultado. A segunda parte foi uma espécie de armadilha, porque por um lado queríamos ganhar, mas não queríamos que eles tivessem oportunidades para marcar.

Não sofremos golos pelo segundo jogo consecutivo, o que é bom. Esta noite fomos compactos e muito disciplinados tacticamente. Quando os atacantes não estão a conseguir marcar, é fundamental que a defesa se mostre sólida.

Topo