Evolução de Blanc desde os tempos do Bordéus

Com o Paris pronto para nova aventura nos quartos-de-final, a Champions Matchday olha para os primeiros tempos de Laurent Blanc como treinador, ao leme do Bordéus.

Laurent Blanc nos tempos em que orientava o Bordéus
Laurent Blanc nos tempos em que orientava o Bordéus ©Getty Images

"Nem tinha pensado nele". Foi assim que o presidente do FC Girondins de Bordeaux, Jean-Louis Triaud, reagiu quando um amigo lhe sugeriu que apostasse em Laurent Blanc para novo treinador do clube. Blanc, por seu lado, já tinha sido recusado por vários clubes antes. "Quando começava a achar que jamais orientaria uma equipa, surgiu o Bordéus. Ficar-lhes-ei eternamente grato", afirmou mais tarde.

Decorria o Verão de 2007 e Blanc, com o seu prestígio enquanto vencedor do Campeonato do Mundo pela França e com a sua determinação em colocar a equipa a praticar um futebol atraente, depressa conquistou os jogadores. "Embora tenha sido defesa, gostava sempre de sair com a bola controlada, quando possível", explicou. "Quero que a minha equipa partilhe essa filosofia. No futebol há que ter a bola para criar problemas ao adversário. Há que assumir riscos."

Sexto classificado na Ligue 1 em 2006/07, o Bordéus foi vice-campeão na primeira temporada sob as ordens de Blanc. Encorajado por esse sucesso, o técnico gaulês recusou suceder a Carlos Queiroz como adjunto de Alex Ferguson, rejeitando assim regressar ao Manchester United FC, onde passou dois anos como jogador. Manteve-se fiel ao Bordéus, estreando-se na UEFA Champions League com uma pesada derrota por 4-0 diante do Chelsea FC, então orientado por Luiz Filipe Scolari, num grupo do qual também faziam parte CFR 1907 Cluj e AS Roma.

Blanc e Scolari, treinador do Chelsea
Blanc e Scolari, treinador do Chelsea©Getty Images

Depois de nova derrota na segunda jornada, frente à Roma, e de duas vitórias suadas sobre o campeão romeno, seguiu-se novo embate com a turma londrina. Nicolas Anelka deu vantagem ao Chelsea, mas Blanc reagiu, lançou em campo o avançado argentino Fernando Cavenaghi, mudando o sistema táctico de 4-2-3-1 para 4-4-2, e o Bordéus acabou por chegar ao empate, perto do fim.

O Bordéus entrava assim para a deslocação a Roma, na sexta e última jornada, a necessitar dos três pontos para seguir em frente, mas tal acabou por não acontecer. Blanc lamentou a ingenuidade da equipa. "Frente a equipas italianas a história é sempre esta. Pensamos que estamos por cima do jogo e, depois, são eles a marcar."

A nível interno, contudo, tudo correu melhor e o Bordéus conquistou mesmo, em 2008/09, o seu primeiro título de campeão francês em dez anos. Na época seguinte, na UEFA Champions League, Blanc e os seus pupilos mostraram que tinham evoluído, atingindo os quartos-de-final da prova. Essa mesma evolução tem agora sido evidente no Paris Saint-Germain de Blanc, pelo terceiro ano consecutivo nos quartos-de-final.

A Champions Matchday é a revista oficial da UEFA Champions League e encontra-se disponível em versão impressa ou para download gratuito em formato digital. Pode segui-la no Twitter, em @ChampionsMag.

Topo