UEFA Champions League resiste à crise

O secretário-geral da UEFA, Gianni Infantino, destacou "a grande força demonstrada pelo futebol e, sobretudo, pela UEFA Champions League", num período em que o Mundo atravessa uma grave crise económica.

©UEFA.com

A UEFA Champions League é uma competição cada vez mais popular, tanto a nível desportivo como a nível comercial, e entra cheia de saúde na temporada 2012/13.

O secretário-geral da UEFA, Gianni Infantino, disse aos representantes dos clubes presentes em Nyon para o sorteio da terceira pré-eliminatória da prova, que o trabalho conjunto entre a UEFA e os clubes tem contribuído de forma determinante para fortalecer a UEFA Champions League, num período de tanta austeridade económica.

"Entramos agora num novo ciclo de três anos, entre 2012 e 2015, concluímos recentemente a venda de direitos televisivos e comerciais da prova e, na globalidade, prevê-se um crescimento das receitas na ordem dos 22 por cento", destacou Infantino. "Trata-se de um grande feito, que confere um ímpeto fantástico a todo o futebol europeu de clubes, dado o actual estado económico e os constrangimentos financeiros com que se deparam muitas empresas".

"É mais uma afirmação da incrível força do futebol", prosseguiu o secretário-geral da UEFA. "E, acima de tudo, uma afirmação da UEFA Champions League, cujos emocionantes jogos proporcionam os grandes espectáculos que todos querem ver nos estádios ou nas suas televisões. Isto deve-se, em grande parte, à grande colaboração entre UEFA e clubes".

Apesar da contínua história de sucesso da UEFA Champions League, Infantino deixou um alerta. "Temos de continuar o cuidado de salvaguardar este nosso tesouro", referiu. "Continuamos a ver-nos confrontados, quase todas as semanas, com novos escândalos e rumores relativos a resultados combinados. Esta continua a ser a maior ameaça ao nosso desporto, pois toca naquele que é o seu verdadeiro espírito".

"Pelo respeito que devemos aos amantes de futebol e pelo próprio jogo em si, peço-vos que se mantenham sempre alerta e reportem quaisquer suspeitas que vocês ou os vossos jogadores possam ter. Apenas trabalhando em conjunto seremos capazes de combater este mal que afecta o nosso desporto"

"Assim, a UEFA vai dar continuidade à sua política de tolerância zero face a qualquer envolvimento em actividades ilegais ou irregulares ligadas aos nossos jogos, e qualquer indivíduo que seja apanhado nestas actividades corre o risco de ser irradiado do futebol para sempre".

Topo