O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Barça com tarefa hercúlea na recepção ao Paris

Tendo igualado a sua maior derrota europeia na primeira mão, o Barcelona terá que anular uma desvantagem de 4-0 se quiser repetir os triunfos de 2013 e 2015 contra o Pareis Saint-Germain.

Barça com tarefa hercúlea na recepção ao Paris
Barça com tarefa hercúlea na recepção ao Paris ©Getty Images

Paris Saint-Germain e FC Barcelona encontram-se pela terceira vez na fase a eliminar nas últimas cinco épocas e o emblema francês tenta superiorizar-se desta vez após eliminações nas ocasiões anteriores.

• O Paris protagonizou uma excelente exibição no triunfo por 4-0 no Parc des Princes, com Ángel Di María a bisar e Julian Draxler e Edinson Cavani a marcarem um golo cada, obrigando o Barcelona a ter de fazer história na UEFA Champions League para manter o seu percurso de nove anos a chegar aos quartos-de-final.

• Apenas três clubes conseguiram recuperar de uma desvantagem de quatro golos na primeira mão de uma competição da UEFA. O VfL Borussia Mönchengladbach bateu o Real Madrid CF 5-1, em casa, na terceira eliminatória da Taça UEFA, em 1985/86, perdendo depois por 4-0. O Leixões SC (contra o FC La Chaux-de-Fonds, na primeira eliminatória da Taça das Taças 1961/62) e o FK Partizan (Queens Park Rangers FC, na segunda eliminatória da Taça UEFA 1985/86) deram a volta a um resultado de 6-2 na primeira mão com triunfos em casa por 5-0 e 4-0, respectivamente.

• O RC Deportivo La Coruña detém o recorde de recuperação da maior derrota na primeira mão na era UEFA Champions League, reagindo a uma derrota em por 4-1 em casa do AC Milan com um triunfo por 4-0 nos quartos-de-final, em 2003/04.

Confrontos anteriores
• As equipas defrontaram-se quatro vezes em 2014/15. Na fase de grupos, os catalães garantiram o primeiro lugar no Grupo F com um triunfo em casa por 3-1 na sexta jornada. Zlatan Ibrahimović ainda marcou primeiro para os parisienses, mas remates certeiros de Lionel Messi, Neymar e Luis Suárez ditaram a reviravolta no resultado.

• Antes, na segunda jornada, o Paris tinha conseguido uma notável vitória na capital francesa por 3-2, com golos de David Luiz, Marco Verratti e Blaise Matuidi, enquanto para o Barcelona marcaram Messi e Neymar.

• Nessa noite de 10 de Dezembro de 2014, em Camp Nou, as equipas foram as seguintes:
Barcelona: Ter Stegen, Bartra (Adriano 90), Piqué, Mascherano, Mathieu, Pedro (Rakitić 68), Busquets, Iniesta (Xavi 73), Messi, Suárez, Neymar.
Paris: Sirigu, Van der Wiel, Thiago Silva, David Luiz, Maxwell, Verratti (Pastore 62), Thiago Motta, Lucas, Matuidi (Lavezzi 75), Ibrahimović, Cavani.

• Os dois clubes voltaram a cruzar-se nos quartos-de-final, altura em que uma vitória por 3-1 no Parc des Princes abriu caminho ao apuramento do Barcelona. Um golo de Neymar e dois de Suárez fizeram a diferença; um autogolo de Jérémy Mathieu foi o melhor conseguido pelo Paris.

• Em Espanha, um bis de Neymar nos primeiros 34 minutos deu a vitória ao Barça.

• As equipas em Camp Nou, a 15 de Abril de 2015, alinharam da seguinte forma:
Barcelona: Ter Stegen, Alves, Piqué, Mascherano, Alba, Rakitić, Iniesta (Xavi 46), Busquets (Sergi Roberto 55), Messi, Neymar, Suárez (Pedro 75).
Paris: Sirigu, Van der Wiel, Marquinhos, David Luiz, Maxwell, Verratti, Cabaye (Lucas 66), Pastore, Matuidi (Rabiot 80), Cavani (Lavezzi 80), Ibrahimović.

• Nos quartos-de-final de 2012/13, o Barcelona eliminou o Paris graças aos golos marcados fora depois de dois empates – 2-2 no Parc des Princes, 1-1 em Camp Nou.

• Os "onzes" em Camp Nou, a 10 de Abril de 2013, foram:
Barcelona: Valdés, Daniel Alves, Piqué, Adriano (Bartra 62), Alba, Busquets, Xavi, Iniesta, Villa (Song 84), Fàbregas (Messi 62), Pedro.
Paris: Sirigu, Jallet (Van der Wiel 88), Alex, Thiago Silva, Maxwell, Verratti (Beckham 83), Thiago Motta, Lucas, Pastore, Lavezzi (Gameiro 81), Ibrahimović.

• Já nos quartos-de-final de 1994/95 foi o Paris a levar a melhor, com um resultado total de 3-2. Ao empate 1-1 em Espanha seguiu-se um triunfo em casa por 2-1 no Parc des Princes, com Raí e Vincent Guérin a facturarem nos últimos 18 minutos.

Retrospectiva

Barcelona
• O registo dos "blaugrana" frente a equipas francesas é de 7V 2E 1D em casa e 12V 5E 5D no total.

• O Barça procura a 15ª vitória consecutiva em casa na UEFA Champions League, tendo vencido todos os 14 jogos em Camp Nou com o seu actual treinador. Não perdem há 19 jogos na competição, numa série que data desde Setembro de 2013 (18V 1E), 

• O conjunto de Luis Enrique assegurou a 13ª participação seguida na fase a eliminar da UEFA Champions League ao vencer o Grupo C, com seis pontos de vantagem sobre o Manchester City. Tratou-se da décima temporada consecutiva em que venceu o grupo em que estava inserido, alargando assim o seu próprio recorde da prova. Atingiu a fase a eliminar nas últimas 15 participações na competição.

• Nos três jogos que disputou em casa nesta fase de grupos somou três vitórias, tendo apontado 15 tentos e não sofrido nenhum.

• O Barcelona ambiciona alcançar os quartos-de-final pela décima temporada seguida, o que seria recorde. Na edição anterior, foi eliminado nesta fase pelo Club Atlético de Madrid (2-1 em casa, 0-2 fora). Nos oitavos-de-final tinha afastado o Arsenal FC com um resultado total de 5-1 (2-0 fora, 3-1 em casa).

• Nas 26 eliminatórias das competições da UEFA em que o Barcelona perdeu fora na primeira mão, acabou por eliminar o adversário em 12 delas. Enquanto a sua única derrota por 4-0 fora na primeira mão terminou com 7-0 na soma dos dois jogos – contra o FC Bayern München nas meias-finais de 2012/13 - por três vezes que deu a volta a derrotas fora por 3-0, batendo o RSC Anderlecht (1978/79), Ipswich Town FC (1977/78) e IFK Göteborg (1985/86) – todos na decisão por grandes penalidades depois de ter ganho a segunda mão por 3-0.

• O registo do Barcelona o desempate por grandes penalidades nas competições da UEFA é de 5V 1D:
5-4 KKS Lech Poznań, segunda eliminatória da Taça das Taças 1988/89
0-2 FC Steaua Bucureşti, final da Taça dos Campeões 1985/86
5-4 IFK Göteborg, meias-finais da Taça dos Campeões 1985/86
4-1 RSC Anderlecht, segunda eliminatória da Taça das Taças 1978/79
3-1 Ipswich Town FC, terceira eliminatória da Taça UEFA 1977/78
5-4 AZ Alkmaar, segunda eliminatória da Taça UEFA 1977/78

Paris
• O campeão de França foi afastado nos quartos-de-final nas últimas quatro temporadas. Na anterior, o carrasco foi o Manchester City FC, com um empate a dois golos em Paris a abrir caminho para um resultado total de 3-2 a favor da equipa da Premier League.

• O registo do Paris em solo espanhol é de 4V 2E 6D; ao todo, contra formações espanholas nas competições europeias, o registo é de 11V 7E 9D. O último triunfo do Paris em Espanha teve lugar nos oitavos-de-final da edição 2012/13 da UEFA Champions League, quando Ezequiel Lavezzi e Javier Pastore marcaram num triunfo por 2-1 no terreno do Valencia CF.

• A vitória na primeira mão do Paris foi a primeira em quatro jogos com o Barcelona.

• Esta época, nos jogos fora no Grupo A, no qual terminaram no segundo posto, os comandados de Unai Emery somaram duas vitórias e um empate. O Paris venceu cinco dos últimos oito jogos fora disputados na competição e perdeu dois.

• A equipa do Parc des Princes venceu 12 das 16 eliminatórias nas quais ganhou em casa na primeira mão, incluindo a última contra o Chelsea, na época passada. Sem surpresa, venceu também as três eliminatórias em que começou por ganhar em casa por 4-0; na verdade, com dois triunfos e um empate, não foi derrotada nessas segundas mãos.

• O registo do Paris em jogos europeus, na decisão nas grandes penalidades, é de V0 D1:
3-4 v Rangers FC, terceira eliminatória da Taça UEFA 2001/02

Ligações entre jogadores e treinadores
• Lucas Digne representou o Paris entre 2013 e 2015, tendo feito 30 jogos na Ligue 1.

• Enquanto treinador de UD Almería, Valencia CF e Sevilla FC, Unai Emery defrontou o Barcelona em 23 ocasiões, no total de todas as competições, contabilizando 16 derrotas, seis empates e apenas uma vitória, ao serviço do Sevilha, por 2-1, na edição anterior da Liga espanhola.

• Luis Enrique fez parte da equipa do Real Madrid CF que eliminou o Paris nos quartos-de-final da Taça UEFA 1992/93 (3-1 em casa, 1-4 fora), e depois nos quartos-de-final da Taça das Taças 1993/94 (0-1 em casa, 1-1 fora).

• Thiago Motta é produto dos escalões de formação do Barcelona, pelo qual fez 96 jogos na Liga espanhola, com seis golos apontados. Conquistou duas vezes o campeonato de Espanha e foi suplente não utilizado na vitória sobre o Arsenal na final da UEFA Champions League de 2006.

• Maxwell efectuou 57 jogos na Liga espanhola pelo Barcelona (2009–12) e ganhou dois campeonatos.

• Thiago Silva fez, nos descontos, o golo do AC Milan num empate 2-2 em jogo da fase de grupos realizado em Barcelona em Setembro de 2011.

• Neymar, na companhia de Thiago Silva, marcou no triunfo por 3-1 do Brasil sobre a França de Matuidi, num amigável realizado em 2015.

• Alphonse Areola passou a temporada passada emprestado ao Villarreal e alinhou na derrota frente ao Barça, por 3-0, na qual Neymar bisou e Suárez também marcou.

• Ángel Di María alinhou 16 vezes pelo Real Madrid frente ao Barça entre 2010 e 2014 (5V 4E 7D). Marcou nos triunfos por 2-1 na final da Taça de Espanha de 2014 e por 3-2 na SuperTaça de Espanha de 2012.

• Grzegorz Krychowiak representou o Sevilha entre 2014 e 2016, tendo defrontado o Barcelona cinco vezes (1V 1E 3D).

• Jogaram juntos:
Thiago Silva, Marquinhos e Lucas Moura com Neymar (Brasil)
Marc André ter Stegen e Julian Draxler (Alemanha)
Matuidi, Layvin Kurzawa, Hatem Ben Arfa, Adrien Rabiot e Lucas Digne com Jérémy Mathieu e Samuel Umtiti (França)
Javier Pastore e Di Maria com Lionel Messi e Javier Mascherano (Argentina)
Edinson Cavani com Luis Suárez (Uruguai)
Kevin Trapp com Marc André ter Stegen (Alemanha Sub-21, 2012-2013)