Fàbregas e o decisivo Chelsea - Paris

Cesc Fàbregas falou na terça-feira sobre o seu papel no Chelsea, como é trabalhar com José Mourinho e o quanto significaria ganhar a UEFA Champions League.

Cesc Fàbregas à conversa na terça-feira
Cesc Fàbregas à conversa na terça-feira ©AFP/Getty Images

Em declarações à comunicação social na véspera do decisivo jogo entre Chelsea FC e Paris Saint-Germain, relativos à segunda mão dos oitavos-de-final da UEFA Champions League, Cesc Fàbregas falou sobre o seu novo papel e de um troféu que ainda em falta no seu palmarés.

Sobre o regresso do Chelsea à boa forma…
Penso que atravessámos um período em que disputámos muitas partidas, o que obviamente é difícil de gerir, tendo em conta toda a pressão que existe de uma competição para a outra. Estamos a jogar bem. Talvez tenhamos registado um decréscimo de forma, mas nas últimas partidas temos vindo a aumentar a nossa qualidade de jogo.

Sobre o peso da experiência nos grandes jogos europeus …
É importante até um determinado momento. Quando chega a pressão, nos minutos finais, onde estamos a perder ou a ganhar, e um empate leva tudo para o desempate por grandes penalidades, é o carácter, a atitude e a personalidade que fazem a diferença.

Sobre o que significa ganhar a UEFA Champions League…
Estaria a mentir se não dissesse ser uma competição especial para mim. Pergunte a um jogador o quer ganhar na sua carreira – dir-lhe-á o Campeonato do Mundo e a Champions League.

Sobre trabalhar com José Mourinho…
Até à data tem sido muito bom, mas já estava à espera que fosse assim. Sabia que ao vir para o Chelsea – como grande clube que é – com um grande treinador, iria aprender bastante, e é isso que estou a fazer. Pôs-me a jogar numa posição a qual está a ser a melhor da minha carreira até ao momento. Estou a ajudar a equipa e gosto de trabalhar sob a sua orientação. Espero que nos conduza a um outro nível competitivo, por forma a ganhar esta competição e muitas mais para o Chelsea.

Sobre a sua adaptação ao novo papel de organizador de jogo …
Nesta fase da minha carreira não me vêm tantas vezes na área adversária. Agora sou mais posicional, a maior parte das vezes fico atrás da linha da bola, dando opções aos colegas para controlarem o ritmo. Também tive de melhorar defensivamente.

Sobre Nemanja Matić…
É um jogador de classe mundial. Está a ter uma época fantástica. É ele quem confere o equilíbrio à equipa, a nível ofensivo e defensivo.

Sobre o que precisa o Chelsea para atingir o nível seguinte…
O que está a faltar um pouco esta temporada, ou seja, o momento em que, se podemos sentenciar a partida, o fazemos de facto. Houve alturas que não conseguimos e permitimos ao adversário ser perigoso. Temos de ser mais determinados, em particular quando saímos para o ataque.

Cesc Fàbregas meets the world's press
Cesc Fàbregas meets the world's press©Getty Images