O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Dortmund em frente apesar da derrota com Zenit

Borussia Dortmund 1-2 FC Zenit (total: 5-4)
Sergei Semak vai entregar a equipa a André Villas-Boas depois de ter conduzido o Zenit a um triunfo impressionante, embora inútil.

Dortmund em frente apesar da derrota com Zenit
Dortmund em frente apesar da derrota com Zenit ©UEFA.com

O Borussia Dortmund garantiu a presença nos quartos-de-final da UEFA Champions League pela segunda época consecutiva, isto apesar na derrota por 2-1 na segunda mão com o FC Zenit.

Hulk inaugurou o marcador com um forte remate e fez renascer as esperanças dos russos de anularem a desvantagem de 4-2 da primeira mão, mas o primeiro golo de Sebastian Kehl em 30 jogos na UEFA Champions League voltava a obrigar os visitantes a marcar três golos. Os russos ganharam nova vantagem com um cabeceamento de José Rondón, mas era demasiado tarde e o Dortmund seguiu em frente com um total de 5-4.

As duas equipas tinham sido derrotadas nas competições nacionais no fim-de-semana, mas não faltou emoção em redor do jogo disputado num lotado BVB Stadion Dortmund. Pierre-Emerick Aubameyang dispôs da primeira oportunidade, mas não conseguiu dar a melhor direcção a um cruzamento de Marcel Schmelzer, na resposta Axel Witsel testou a atenção de Roman Weidenfeller e Robert Lewandowski fez uma boa rotação obrigou o guarda-redes do Zenit, Vyacheslav Malafeev, a mostrar qualidades.

Os sinais eram encorajadores para os adeptos visitantes, que foram recompensados pela longa viagem quando Hulk abriu a contagem com magnífico remate aos 16 minutos. O brasileiro tirou vários adversários do caminho antes de bater Weidenfeller com um remate a 25 metros da baliza.

O Dortmund sofreu mais um rude golpe, poucos minutos depois, quando Lewandowski, o melhor marcador da equipa, viu terceiro cartão amarelo nesta edição da prova e ficou suspenso para o encontro da primeira mão dos quartos-de-final. A equipa da casa reagiu com determinação e Malafeev teve de se esticar ao máximo para desviar um remate Kevin Grosskreutz, mas o guarda-redes não foi capaz de segurar o cabeceamento de Kehl aos 38 minutos, com o experiente médio a fazer o empate com o primeiro golo na prova.

O início do segundo tempo foi confuso e ambas as equipas só tentaram a sorte com remates de longa distância. Hulk rematou por alto na cobrança de um livre e, embora Aubameyang tenha desperdiçado uma oportunidade do Dortmund ao rematar com má direcção, ficava a ideia que era o Zenit que estava mais perto de voltar a marcar.

A equipa da Bundesliga parecia satisfeita em equilibrar a luta no meio-campo, até o suplente Rondón corresponder com um mergulho de cabeça a um cruzamento de Domenico Criscito e reduzir mais uma vez a desvantagem dos russos na eliminatória. O Zenit fez tudo para marcar nos minutos finais, mas o Dortmund nunca passou por grandes sustos. Os alemães vão marcar presença no sorteio de sexta-feira com a noção que na última ocasião em que atingiram em duas épocas consecutivas os quartos-de-final, em 1996/97, acabaram por ser campeões europeus.