Toprak coloca Leverkusen nos "oitavos"

Real Sociedad de Fútbol 0-1 Bayer 04 Leverkusen
A equipa de Sami Hyypiä garantiu o apuramento para os oitavos-de-final, com o golo de Ömer Toprak a dar a vitória e o segundo lugar do Grupo A.

Os jogadores do Leverkusen abraçam Ömer Toprak após o defesa fazer o golo da vitória
Os jogadores do Leverkusen abraçam Ömer Toprak após o defesa fazer o golo da vitória ©AFP/Getty Images

O Bayer 04 Leverkusen garantiu o apuramento para a fase a eliminar da UEFA Champions League, graças a uma vitória merecida sobre a Real Sociedad de Fútbol, beneficiando igualmente da derrota do FC Shakhtar Donetsk em Old Trafford.

Apesar de a margem ter sido mínima, com o golo de Ömer Toprak na segunda parte a fazer a diferença, a equipa alemã dominou em termos de qualidade ao longo da partida, e apenas lamenta o cartão amarelo visto por Emre Can, que o afasta do próximo jogo. Tendo começado o dia no terceiro posto do Grupo A, os pupilos de Sami Hyypiä ultrapassaram o derrotado Shakhtar e seguem para os oitavos-de-final com os seus sonhos de glória na UEFA Champions League bem vivos.

Desde o início, e apesar de a equipa da casa ter preenchido todo o campo, os visitantes tinham uma segurança e calma perceptíveis. Não só o Leverkusen actuou como um equipa que só pensava na vitória, como também mostrou a paciência e inteligência de um conjunto que se sentiu completamente confiante na sua capacidade atacante.

Desde o apoio intenso que vinha desde as bancadas do Anoeta até ao trabalho intenso dos jogadores de Jagoba Arrasate, pouco houve a criticar durante a primeira parte, mas faltava aos anfitriões eficácia no ataque. Eñaut Zubikarai, estreante na UEFA Champions League aos 29 anos, viu o livre madrugador de Gonzalo Castro embater com estrondo na barra, e teria sido impotente no lance de perigo seguinte, dez minutos depois, mas Rolfes, isolado, cabeceou ao lado.

O habitual guarda-redes suplente por duas vezes impediu a sua equipa de ficar em desvantagem, antes do intervalo, detendo os remates de Son Heung-Min e Lars Bender. No outro extremo do relvado, o seu esforço quase foi premiado, quando Carlos Vela esticou a perna e por pouco não chegou ao cruzamento de Antoine Griezmann, que assim passou à boca da baliza do Leverkusen sem que ninguém lhe tocasse.

Como costuma acontecer a este nível, os falhanços pagam-se caro. Pouco tempo após o recomeço, o suplente Robbie Kruse foi mais rápido a fugir à marcação de José Ángel na direita. Evitando um passe interior para Can, o cruzamento de Kruse permitiu a Stefan Kiessling cabecear forte para defesa categórica de Zubikarai. No seguimento do canto, Gorka Elustondo e Toprak envolveram-se na área, com o defesa a ser incapaz de impedir o internacional turco, de 24 anos, de atirar para a fundo das redes, fazendo o seu segundo golo no Grupo A.

Imediatamente, e pleno de confiança, o Leverkusen podia ter marcado mais dois golos. Ángel desviou um remate de Castro, permitindo a Kiessling cabecear à barra, e depois Zubikarai, num remate à queima-roupa, voltou a evitar o golo ao imponente avançado alemão. À medida que o jogo, e a sua campanha europeia, se desvaneciam, Griezmann beneficiou, e desperdiçou, várias ocasiões. Não era a noite da Real Sociedad, nem foi a sua temporada.