Combata a COVID-19 seguindo as indicações da Organização Mundial de Saúde e os cinco passos da FIFA para travar a propagação da doença.

1. Lavar as mãos 2. Tossir para o antebraço 3. Não tocar no rosto 4. Manter a distância física 5. Ficar em casa.
Mais informação >
 

Grosskreutz coloca Dortmund nos "oitavos"

Olympique de Marseille 1-2 Borussia Dortmund
Depois de terem estado perto da eliminação, um golo de Kevin Grosskreutz a três minutos do fim deu aos alemães a vitória e a liderança do Grupo F.

Kevin Grosskreutz festeja após o seu tento tardio e crucial
Kevin Grosskreutz festeja após o seu tento tardio e crucial ©Getty Images

Um golo tardio de Kevin Grosskreutz apurou o Borussia Dortmund para os oitavos-de-final da UEFA Champions League, ao oferecer aos finalistas-vencidos da época passada registou o triunfo por 2-1 que precisavam frente ao Olympique de Marseille, apurando-se assim como vencedores do Grupo F.

A equipa de Jürgen Klopp começou da melhor forma, graças a uma finalização categórica de Robert Lewandowski, mas o Marselha, já eliminado, não baixou os braços. Com José Anigo no banco de suplentes, após a demissão de Élie Baup no fim-de-semana, o clube francês empatou por intermédio de Souleymane Diawara, e parecia bem perto de somar o seu primeiro ponto, apesar da expulsão de Dimitri Payet na primeira parte. Com o SSC Napoli a bater o Arsenal FC na outra partida do grupo, os "schwarzgelben" precisavam do golo da vitória – e Grosskreutz conseguiu-o.

Os visitantes ambicionavam um golo madrugador e marcaram-no logo aos quatro minutos, com o lateral-esquerdo Eric Durm a lançar Lewandowski, com o avançado polaco a aguentar a carga de Lucas Mendes antes de, com um toque subtil, colocar a bola fora do alcance de Steve Mandanda que saiu da baliza. Se o Marselha jogava apenas pelo seu orgulho, até mesmo isso parecia um objectivo irrealizável, ainda assim reagiu e empatou, pouco tempo depois.

Anigo, treinador-interino do Marselha, é acima de tudo um motivador, e os seus pupilos chegaram ao empate através de um livre de Payet. Roman Weidenfeller saiu dos postes para afastar a soco, mas Saber Khalifa chegou primeiro à bola e cabeceou à barra, cabendo a Diawara encostar para o fundo das redes.

Subitamente, o Marselha ganhou novo ânimo – apenas para Payet ser expulso aos 34 minutos, recebendo o segundo cartão amarelo, por simulação, pouco tempo após ter visto o primeiro. Os anfitriões têm crédito por não se terem resignado a partir dai, e Florian Thauvin testou a atenção de Weidenfeller com um remate rasteiro, após fugir pela direita.

Com os resultados que se verificavam ao intervalo, o apuramento do Dortmund estava garantido, mas o conjunto germânico não tencionava contar com o que se passava em Nápoles, e impôs uma pressão intensa após o recomeço. Mandanda deteve um cabeceamento de Jakub Błaszczykowski, junto ao primeiro poste, antes de Marco Reus atirar à barra.

Envergando a sua famosa camisola amarela e preta, os visitantes montaram cerco à área marselhesa, e podiam ter chegado à vantagem quando Lewandowski aproveitou um mau passe atrasado de Diawara, passando por Mandanda mas atirando à malha lateral. Momentos depois, Reus, em posição frontal, rematou por cima.

À medida que chegavam notícias do golo do Nápoles, essas perdidas começavam a parecer decisivas. Os comandados de Klopp, tão brilhantes na época passada, estavam prestes a ser afastados da elite europeia. No entanto, Grosskreutz tinha outras ideias, e bateu Mandanda com um remate rasteiro junto à marca de penalty. Seguiu-se a euforia.

Topo