"Inteligência" do Porto crucial para Fonseca

Nenad Bjelica não poupou elogios à exibição de estreia do Áustria Viena, ainda assim, de acordo com Paulo Fonseca, o Porto somou os três pontos graças à melhor gestão do jogo.

Daniel Royer (à direita), do Áustria Viena, ganha vantagem a Alex Sandro, do Porto
Daniel Royer (à direita), do Áustria Viena, ganha vantagem a Alex Sandro, do Porto ©Getty Images

Nenad Bjelica, treinador do Áustria Viena
Podemos construir algo com base nesta exibição. Estou orgulhoso com o que a minha equipa mostrou hoje. Como é óbvio, faltou-nos eficácia no ataque, mas a nossa abordagem táctica e física ao jogo é algo de que todos podem ficar realmente orgulhosos. Nos últimos jogos desperdiçámos demasiadas oportunidades, e hoje voltou a acontecer. É, sem dúvida, um aspecto no qual precisamos de trabalhar durante os treinos.

A nossa abordagem ao jogo foi directa, e não fomos influenciados pelo facto de estarmos a defrontar uma equipa europeia de topo. Hoje vimos isso, que mesmo frente aos melhores, somos capazes de discutir o resultado. Nas próximas partidas vamos tentar somar alguns pontos, e sei que vamos conseguir.

Esta noite a minha equipa representou-se quase na perfeição. Cometemos apenas um erro na defesa e fomos castigados por isso. Vamos tentar dar a volta com muito trabalho. Dito isso, existe uma diferença de cerca de 200 milhões de euros entre as equipas, mas tal não foi visível em campo.

Paulo Fonseca, treinador do Porto
Estou feliz porque era importante vencer hoje. Alcançámos o nosso objectivo num jogo difícil, mas sabíamos que ia ser duro. O adversário possui qualidade e complicou a nossa tarefa, especialmente no início do jogo, quando nos pressionou bastante. Mas praticámos futebol inteligente, senão mesmo brilhante, e conseguimos ganhar.

Todos os jogadores estiveram muito bem, apesar de na primeira parte algumas coisas não terem funcionado. Na etapa complementar melhorámos e estivemos mais tempo no meio-campo contrário, assumindo controlo do jogo. O nosso melhor período foi antes do golo [aos 55 minutos, por intermédio de Lucho González] e após a entrada do Hector Herrera [aos 79 minutos], que nos permitiu estabilizar. Os jogadores que entraram foram decisivos na forma como gerimos a partida. Realizámos uma exibição calma e pragmática.

Atlético e Zenit vão ter dificuldades se o Áustria Viena jogar como o fez hoje. No entanto, Lucho é o meu comandante, a sua experiência pode fazer a diferença e hoje voltou a mostrar isso.