Rivalidades domésticas chegam à cena internacional

Dortmund e Bayern de Munique vão participar na quarta final da UEFA Champions League entre clubes do mesmo país e o UEFA.com recorda as três anteriores decisões.

Fernando Morientes e Raúl González festejam o triunfo do Real Madrid sobre o Valência, na final de 2000
Fernando Morientes e Raúl González festejam o triunfo do Real Madrid sobre o Valência, na final de 2000 ©Bongarts

A final da edição 2012/13 da UEFA Champions League vai ser a quarta entre clubes do mesmo país, com Borussia Dortmund e FC Bayern München a defrontarem-se em Londres. O UEFA.com recorda as três primeiras.

1999/2000 Real Madrid 3-0 Valencia CF
Apesar de Real ou Valência não serem o campeão espanhol, vitórias na fase a eliminar, sobre Manchester United FC e FC Bayern München, e S.S. Lazio e FC Barcelona, respectivamente, estabeleceram a primeira final da UEFA Champions League entre rivais domésticos. Foi a 11ª final do Real – e a segunda em três anos, já que os "merengues", na altura treinados por Jupp Heynckes, colocaram um ponto final no jejum de 32 anos para conquistarem o troféu, em 1998 – e a primeira do Valência, e essa diferença de experiência revelou-se crucial no Stade de France. O Real de Vicente Del Bosque inaugurou o marcador, através de Fernando Morientes, a poucos minutos do intervalo, e com o Valência de Héctor Cúper incapaz de retomar o ímpeto ofensivo que o levou até Paris, golos de Steve McManaman e Raúl González, na segunda parte, confirmaram o oitavo dos nove sucessos do Real na prova.

2002/03 AC Milan 0-0 Juventus (Milan vence 3-2 nos penalties)
A Itália forneceu três dos quatro semifinalistas, com o FC Internazionale Milano a falhar a final, em Old Trafford, após perder frente ao seu vizinho milanês. Com Milan e Juve a conhecerem-se bastante bem, foi um encontro tenso, com poucas oportunidades – mesmo o melhor marcador da competição nessa temporada, o avançado "rossoneri" Filippo Inzaghi, foi incapaz de facturar em Manchester. Clarence Seedorf e Kakha Kaladze falharam para o Milan no desempate, mas David Trezeguet, Marcelo Zalayeta e Paolo Montero fizeram o mesmo para a Juve, deixando para Andriy Shevchenko a cobrança do remate decisivo, que deu o troféu ao Milan pela sexta vez no seu historial.

2007/08 Manchester United 1-1 Chelsea FC (United vence por 6-5 nos penalties)
Mais uma vez, três das equipas presentes nas meias-finais eram oriundas do mesmo país, com o Chelsea a desforrar-se dos desaires frente ao Liverpool FC na mesma fase do torneio, em 2005 e 2007, para alcançar a sua primeira final. O United marcou primeiro no Estádio Luzhniki, em Moscovo, por intermédio de um cabeceamento de Cristiano Ronaldo, mas Frank Lampard empatou à beira do intervalo. Sem mais golos no tempo regulamentar, o jogo foi a prolongamento e, depois, com os penalties a aproximarem-se, o Chelsea ficou sem o avançado Didier Drogba, expulso. Parecia ter respondido da melhor forma ao revés quando Petr Čech defendeu o remate de Ronaldo, no desempate, possibilitando a John Terry decidir o jogo a favor do emblema de Stamford Bridge. No entanto, o capitão do Chelsea escorregou na altura do remate e atirou ao poste. Depois, Edwin van der Sar deteve o remate de Nicolas Anelka e permitiu a viagem do troféu para Old Trafford.

Final da edição 1979/80 da Taça UEFA
A única vez que dois clubes alemães se encontraram numa final europeia foi há 33 anos, e o actual treinador do Bayern, Jupp Heynckes, não tem boas recordações dessa partida. O seu VfL Borussia Mönchengladbach venceu por 3-2 em casa, frente ao Eintracht Frankfurt, na primeira mão, após recuperar duas vezes de desvantagem. No entanto, uma derrota por 1-0 em Frankfurt negou o troféu ao Mönchengladbach, devido aos golos fora.