O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Di Matteo aliviado, Jesus frustrado

Roberto Di Matteo falou com certo alívio depois de ver o Chelsea sobreviver a uma noite tensa e alcançar um resultado total de 3-1 frente ao Benfica, que sai de cena com "orgulho" e "frustrado".

Ramires não consegue marcar à boca da baliza frente ao Benfica
Ramires não consegue marcar à boca da baliza frente ao Benfica ©Getty Images

Roberto Di Matteo, treinador-interino do Chelsea
Foi um jogo duro. Vencer por 1-0 fora deixa-nos um pouco desconcentrados em relação à abordagem a adoptar. Demos ao adversário a ideia de que podia chegar aqui e ganhar o jogo. Não queríamos ser demasiado individualistas, mas criámos ocasiões suficientes na segunda parte. Estamos felizes com o apuramento para as meias-finais.

Antes do jogo sabíamos que íamos enfrentar uma boa equipa e foi o que aconteceu. São muito bons e mostraram-no em várias ocasiões. Estamos muito satisfeitos. Só nos faltou o segundo golo para estarmos mais tranquilos. Mesmo a ganhar por 1-0 ainda tiveram ocasiões de golo, mas nós também falhámos umas quantas.

Defrontamos o Wigan no sábado e temos que nos concentrar nisso primeiro. O Barcelona é provavelmente uma das melhores equipas do Mundo, senão mesmo a melhor. Possui grandes jogadores. É o favorito, mas acreditamos bastante nas nossas qualidades. Precisamos de estar ao nosso melhor nível para o vencer e acreditamos que é possível.

Jorge Jesus, treinador do Benfica
Quero dar os parabéns aos jogadores do Benfica. Mesmo com menos um jogador fomos sempre melhores do que o Chelsea. Saímos de prova muito frustrados, pois sentimos que fomos muito melhores do que o Chelsea nas duas mãos; não merecíamos perder. Mas estou orgulhoso desta equipa do Benfica. Não vamos defrontar o Barcelona nas meias-finais, mas somos muito melhor equipa que o Chelsea. Actuámos durante uma hora com dez jogadores e isso não se notou.

Quero felicitar o Javi García e o Emerson, que fizeram um excelente jogo numa posição que não é habitual [defesa-central]. O Javi García foi sensacional. Esta noite alinhámos sem o quarteto defensivo titular e com uma defesa reformulada. Infelizmente sofremos um golo em contra-ataque. Antes do intervalo, o Chelsea tinha feito muito pouco, enquanto nós mostrámos uma atitude muito positiva ao longo do jogo.

Estamos desiludidos, já que isto coloca um ponto final numa excelente campanha na UEFA Champions League. Os jogadores podem motivar-se com a exibição desta noite e saírem daqui de cabeça erguida.