O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Evra aceita derrota ante a "melhor equipa do Mundo"

O defesa-esquerdo Patrice Evra reconheceu que o Manchester United não foi batido por uma equipa qualquer, enquanto Edwin van der Sar falou de uma despedida que terminou da pior maneira.

Patrice Evra reconheceu a superioridade do Barcelona sobre o Manchester United
Patrice Evra reconheceu a superioridade do Barcelona sobre o Manchester United ©Getty Images

Sem margem para dúvidas. O Manchester United FC foi derrotado na final da UEFA Champions League pela melhor equipa do Mundo. Foi este o veredicto do defesa Patrice Evra, que elogiou a capacidade dos jogadores do FC Barcelona em jogarem de olhos fechados, neste triunfo por 3-1.

"A melhor equipa hoje venceu," disse Evra. "Temos que dar crédito ao Barcelona. Apesar de jogar no Manchester United e de querermos ser a melhor equipa do Mundo, hoje o Barcelona foi melhor. Nesta altura temos que aceitar que, nos últimos quatro anos, o Barcelona tem sido a melhor equipa do Mundo, com o United a vir logo a seguir."

Para o United não houve reedição do triunfo de 1968 em Wembley, ante o Benfica, mas sim uma repetição da derrota por 2-0 de Roma, em 2009, ante os catalães. A diferença foi outra vez de dois golos, com Lionel Messi e David Villa a marcarem na segunda parte, depois de Pedro Rodríguez ter aberto o activo, com Wayne Rooney a responder pouco depois.

O Barcelona teve 63 por cento de posse de bola e acertou 12 vezes no alvo, contra apenas uma do United, que se revelou impotente para travar o "carrossel de passes" dos "blaugrana" - como uma vez Alex Ferguson descreveu -, limitando-se a ver jogar. "Conhecemo-nos bem, mas eles conhecem-se ainda melhor, quase na perfeição," acrescentou Evra. "Sempre que o Messi pega na bola, ele sabe onde é que o Xavi, o Pedro ou o Iniesta vão estar. Foi muito difícil, pois o Barcelona guarda a bola muito bem."

O United, antes do jogo, estava confiante de que estaria mais bem preparado para se bater com o Barcelona, com Van der Sar a falar do sentimento dentro da equipa que o desempenho de todos foi melhor do que há dois anos, mas que terminaria da mesma maneira. "Eles jogaram bem, nós já sabíamos disso e tentámos fazer algo para os parar," acrescentou o guardião. "Penso que correu bem nos primeiros 20 minutos. Pressionámos e conseguimos aguentar mais 15 do que em Roma."

O golo que desequilibrou o encontro foi o de Messi que, de pé esquerdo, bateu Van der Sar com um remate de fora da área, depois de a defesa do United se ter revelado incapaz de fechar o caminho da baliza. "Pensei que estava bem colocado, pois achava que o Vidić tinha aquele lado coberto," acrescentou Van der Sar, que fez o seu último jogo antes de pendurar as luvas. "Foi apenas mais um jogo," disse o veterano guarda-redes, de 40 anos, sobre a sua infeliz despedida, apesar de terem sido as suas defesas que impediram que o resultado fosse ainda mais pesado.