O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Manter a chama acesa

Real Madrid CF 3-2 FC Bayern München
Raúl González bisou, mas um golo de Mark van Bommel perto do fim deixa tudo em aberto.

Dois golos de Raúl González e um de Ruud van Nistelrooy, todos na primeira parte, deram ao Real Madrid CF uma ligeira vantagem sobre o FC Bayern München, num emocionante encontro da primeira mão dos oitavos-de-final da UEFA Champions League. A equipa alemã está, no entanto, na luta pelo apuramento graças ao tento de Mark van Bommel, apontado perto do fim.

Excelente primeira parte
O instinto predador de Raúl deu vantagem à formação espanhola no início do encontro, com Lucio a empatar para o campeão germânico e, ainda antes da meia hora, o capitão dos "merengues" recolocou a sua equipa em vantagem. Van Nistelrooy aproveitou a apatia da defesa do Bayern para fazer o 3-1, mas os forasteiros foram mais fortes na segunda parte e, a dois minutos dos 90, tiveram o prémio que os coloca na discussão da eliminatória graças a um remate de Van Bommel.

Início perfeito
Fabio Capello, cuja equipa marcou apenas dois golos nos últimos quatro encontros da liga espanhola, proporcionou a estreia na UEFA Champions League à dupla argentina Fernando Gago e Gonzalo Higuaín e os donos da casa entraram bem na partida. Já depois de alguns lances de perigo, o Real Madrid chegou ao golo aos dez minutos: o passe de Van Nistelrooy destruiu a defesa germânica e, apesar de Oliver Kahn ter impedido Raúl de o ultrapassar, a bola sobrou para o internacional espanhol, que marcou o quarto golo na presente edição da prova.

Empate com sotaque brasileiro
O Bayern ainda não tinha causado qualquer perigo junto à baliza espanhola, mas na primeira vez que o fez chegou ao empate. Aos 23 minutos, Willy Sagnol cobrou um livre na direita, Lucio fugiu à marcação de Fabio Cannavaro e cabeceou sem hipóteses para Iker Casillas. Foi o primeiro golo do central brasileiro na UEFA Champions League desde que marcou, contra este mesmo adversário, ao serviço do Bayer 04 Leverkusen, na final de 2002.

Fúria espanhola
As defesas das duas equipas pareciam vulneráveis e foi preciso esperar apenas mais cinco minutos para ver outro golo. Após um canto de David Beckham, Iván Helguera cabeceou para o poste mais distante, onde surgiu Raúl a fazer o segundo golo da sua conta pessoal. A mesma fórmula resultou no terceiro golo espanhol, a 11 minutos do intervalo, com Helguera a dar seguimento a um livre de Beckham e a bola a sobrar para Van Nistelrooy que, desmarcado, bateu Kahn.

Beckham em acção
O médio inglês continuou a ser fundamental para a sua equipa na segunda parte, ao isolar Higuaín, mas o médio de 19 anos não conseguiu bater o guarda-redes germânico. Kahn voltou a brilhar pouco depois, ao fazer uma defesa extraordinária após um livre directo de Beckham. O Bayern demonstrava algumas dificuldades para travar o ataque da casa, que teve alguma sorte num lance em que Casillas falhou a intercepção a um livre de Sagnol, mas Claudio Pizarro atirou ao poste.

Esperança no pé de Van Bommel
O avançado peruano voltou a estar perto do golo com um remate rasteiro, mas Casillas foi rápido a reagir e desviou para canto. As esperanças do Bayern em chegar aos quartos-de-final ganharam novo fôlego aos 88 minutos, quando uma bola perdida sobrou para Van Bommel que, à entrada da área, reduziu a desvantagem e garantiu emoções fortes para o jogo da segunda mão, no dia 7 de Março, em Munique.