Resposta dos clubes à COVID-19

Saiba como os clubes que estão a disputar a UEFA Europa League ajudaram as comunidades locais a lidar com o impacto da pandemia da COVID-19.

De Basileia ao Wolverhampton Wanderers, todos os clubes que continuam na UEFA Europa League lançaram inúmeras iniciativas para apoiar adeptos e comunidades durante o longo período de paragem do futebol.

Entre estas actividades merecem destaque a recolha de fundos para a compra de equipamentos médicos que salvam vidas, a entrega de alimentos a idosos e pessoas vulneráveis, sem esquecer a utilização do enorme alcance do desporto para transmitir mensagens sanitárias vitais.

"O futebol pode ser, verdadeiramente, um veículo importante para o bem", afirmou o Presidente da UEFA, Aleksander Čeferin. "Estes exemplos provam isso”.

Basileia

O Basileia lançou em Abril a campanha de solidariedade # ZämmestooGegenCorona (#JuntosContraCorona), com Karli Odermatt, antiga lenda do clube, a assumir o papel de embaixador. Durante várias semanas, actuais e antigos jogadores da equipa suíça, assim como outros funcionários do clube, ofereceram objectos únicos para serem leiloados em zämmestoo.fcb.ch. Juntamente com doações individuais, estes leilões recolheram quase CHF 70.000 (€ 65.000). Um montante dividido entre três instituições de solidariedade, duas de âmbito local e uma com trabalho na Suíça e a nível internacional.

Copenhaga

Uma das iniciativas de maior destaque do clube dinamarquês, juntamente com muitos outros contributos para a comunidade, foi disponibilizar o estádio à cidade de Copenhaga para ser utilizado por escolas e outras instituições de ensino. Isto permitiu o regresso às aulas mantendo todas as regras do protocolo de distanciamento social.

Eintracht Frankfurt

Além de organizar um serviço de entregas para associados do clube que não podiam sair de casa durante o confinamento, o Frankfurt também lançou uma iniciativa inovadora na internet para ajudar os restaurantes da cidade, pequenas empresas e instituições culturais e sociais a suportar o inesperado impacto financeiro.

Getafe

A fundação do clube espanhol tomou um série de iniciativas para apoiar a linha da frente no combate à pandemia na cidade. Entre elas está a criação de uma equipa médica para proporcionar apoio médico gratuito e informações à comunidade local através de um serviço de consultas “on-line”. O clube fez donativos ao Hospital Universitário de Getafe para ajudar a comprar equipamentos de protecção individual, como aventais impermeáveis, máscaras cirúrgicas, protecções para sapatos, luvas e boinas.

Estrelas da Europa League agradecem aos profissionais
Estrelas da Europa League agradecem aos profissionais

Inter

Depois de doar um milhão de máscaras à Agência Nacional de Protecção Civil, o Inter lançou a campanha #TogetherAsATeam, uma campanha de “crowdfunding” para ajudar à investigação de vacinas no departamento de ciências biomédicas e clínicas do Hospital Luigi Sacco, em Milão.

A iniciativa “on-line” arrecadou € 658.000, graças às contribuições de mais de 3.000 adeptos, em conjunto com jogadores da equipa principal, treinadores, funcionários do clube e a Fundação PUPI - a organização sem fins lucrativos argentina criada por Javier Zanetti, antigo capitão do Inter, e pela sua mulher, Paula, para apoiar crianças vulneráveis.

İstanbul Başakşehir

O clube turco contribuiu com muitas mensagens de consciencialização transmitidas ao público para tentar garantir que a transmissão do vírus fosse reduzida ao mínimo. Os jogadores publicaram diversos vídeos com mensagens aos adeptos e os canais do clube prestaram apoio aos funcionários na linha da frente de combate à doença.

bibi
bibi

Bayer Leverkusen

Juntamente com os outros três clubes alemães que participaram na UEFA Champions League de 2019/20 (Borussia Dortmund, Bayern München e Leipzig), o Leverkusen contribuiu para um fundo de solidariedade no valor de € 20 milhões para ajudar os clubes da Bundesliga e da 2. Bundesliga que tiveram maiores dificuldades em fazer face às consequências económicas provocadas pela paragem do futebol.

LASK

A iniciativa do clube austríaco #GemeinsamgegenCorona (#juntoscontraocorona) reuniu funcionários e jogadores numa resposta comunitária. Em Março, o LASK assumiu o compromisso público de não despedir funcionários. Durante esse período, os funcionários do clube em questão apoiaram a Cruz Vermelha Austríaca durante o horário normal de trabalho, com os salários a continuarem a ser pagos pelo LASK.

Manchester United

O United juntou esforços com o rival Manchester City FC na doação de £ 100.000 (€ 110.000) a bancos alimentares da região. A fundação do clube esteve muito activa, forneceu comida a instituições de solidariedade locais, ofereceu entretenimento em casa para os adeptos mais jovens e doou £ 300.000 (€ 330.000) para escolas parceiras, entre muitas outras iniciativas.

Olympiacos

O proprietário do clube, Evangelos Marinakis, juntou-se à transportadora marítima Angeliki Frangou e à ION SA para oferecer 12 camas de cuidados intensivos ao Hospital Geral Público em Nikaia, nos arredores de Atenas. Foram investidos mais de 1,5 milhões de euros nas camas de UCI e nos equipamentos complementares, incluindo ventiladores, monitores especiais, bombas e desfibrilhadores.

Rangers

A Rangers Charity Foundation tem trabalhado de diversas formas para ajudar a comunidade local e não só. Através da campanha #AFoundationFromHome, os adeptos tiveram acesso a vários recursos para pessoas de todas as idades. A fundação também trabalhou arduamente para oferecer doações em bens e monetárias a grupos externos durante este período difícil. Saiba mais aqui (em inglês)

Roma

Sediada na capital de um dos países mais atingidos pelo novo coronavírus, a Roma esteve na primeira linha no apoio aos adeptos durante uma crise sem precedentes.

Quando o confinamento deixou muitas pessoas idosas isoladas e vulneráveis, a fundação do clube, Roma Cares, começou a entregar pacotes a todos os detentores de bilhetes de época com mais de 75 anos. Eliseo Lorenzetti foi o contemplado mais velho. Além do pacote médico e alimentar, o avançado Edin Džeko entregou uma camisola autografada ao adepto de 96 anos que nasceu quatro anos antes da fundação da Roma.

Sevilha

Através da iniciativa Take Care of Me, o Sevilha apelou aos membros mais vulneráveis da comunidade, especialmente os idosos, para aumentar a consciencialização sobre a necessidade de ficar em casa para evitar a exposição à COVID-19. A fundação do Sevilha também acompanhou a saúde dos adeptos mais idosos e vulneráveis do clube. A fundação contribuiu ainda para os bancos alimentares criados por instituições de caridade locais para garantir que as comunidades mais pobres da cidade não passavam fome durante o confinamento.

Shakhtar Donetsk

Juntamente com a Fundação Rinat Akhmetov, o Shakhtar Donetsk forneceu 20.000 kits de teste de COVID-19 às instituições médicas na região de Kharkiv. Estes kits permitem que os laboratórios identifiquem possíveis infecções pelo novo coronavírus em apenas 15 minutos e são fundamentais para ajudar as autoridades de saúde pública a identificar e a conter surtos.

Wolfsburgo

A campanha #wirhelfen (nós ajudamos) do Wolfsburgo forneceu o apoio necessário aos sócios idosos e aos portadores de bilhetes de época. Jogadores das equipas seniores masculina e feminina, incluindo Robin Knoche, Felix Klaus, Svenja Huth e Sara Doorsoun, ligaram pessoalmente a 75 adeptos. Outros funcionários fizeram recados, foram às compras ou adquiriram as prescrições médicas para aqueles que não podiam sair de casa. A equipa do Wolfsburgo também recolheu € 30.000 em doações voluntárias e, no início da crise, o clube forneceu 100.000 máscaras cirúrgicas muito necessárias às instituições médicas e sociais da linha de frente do combate à doença na cidade

Wolverhampton Wanderers

O clube treinado por Nuno Espírito Santo dedicou atenção especial aos membros mais vulneráveis e idosos da comunidade, com lendas do clube a contactarem, a entregarem medicamentos e mercearias, a darem apoio “on-line” e a ajudarem de diversas outras formas. Máscaras e outros equipamentos de protecção foram doados a assistentes sociais e à cidade de Wolverhampton.