Ambição lusa para dar passo importante

Antes de defrontar a Roménia, no arranque do Futsal EURO 2018, Jorge Braz anuncia uma selecção portuguesa ambiciosa, enquanto Ricardinho quer manter a tendência vitoriosa frente ao adversário.

Jorge Braz anunciou uma selecção portuguesa ambiciosa e que quer orgulhar o país
Jorge Braz anunciou uma selecção portuguesa ambiciosa e que quer orgulhar o país ©Sportsfile

Antes de defrontar a Roménia, no arranque do Grupo C do UEFA Futsal EURO 2018, o seleccionador Jorge Braz anuncia uma selecção portuguesa ambiciosa, enquanto Ricardinho quer manter a tendência vitoriosa frente ao adversário.

Jorge Braz, seleccionador de Portugal
Temos os objectivos claramente definidos e sabemos o que queremos. Precisamos ter essa vontade, essa ambição. É assim que vamos iniciar esta competição, sempre com o sonho e a ambição de ganhar no nosso pensamento.

A Roménia vai tentar tentar complicar o jogo de forma a manter-se qualificável para a próxima fase, não duvido disso. Vai tentar, com as suas armas, contrariar o que lhe tem acontecido nos últimos jogos contra nós, e cabe-nos impedir isso. Sabemos claramente o que vamos ter de fazer frente à Roménia e temos trabalhado isso. Estamos mais do que preparados para o primeiro jogo.

Os jogos de preparação tiveram coisas muito interessantes na antecâmara para uma competição destas. A nível interno sabemos isso muito bem. Os portugueses que não se preocupem: estamos aqui para os orgulhar, e acima de tudo para orgulhar a família do futsal. Queremos pontenciar o bom trabalho que tem sido feito no futsal, e nada melhor do que alcançar um bom desempenho com a selecção.

Ricardinho, ala de Portugal
Um Europeu é muito mais difícil de ganhar do que um Mundial. Actualmente são três equipas por grupo e isso reduz ainda mais a margem de manobra. Às vezes até com um empate se compromete o apuramento ou apanhamos adversário mais difícil, como foi o nosso caso em 2016, quando empatámos com a Sérvia e depois cruzámo-nos logo com a campeã Espanha. Por isso não queremos ser surpreendidos na primeira jornada. Queremos entrar a ganhar para ficarmos praticamente apurados para os quartos-de-final.

Vencer a Roménia não é importante, é muitíssimo importante. O primeiro jogo é sempre difícil, onde há um certo nervoso miudinho, mas o mais importante é que estamos preparados, temos jogadores experientes e também jovens de valor, portanto quando a bola começa a rolar isso desaparece. Já defrontámos várias vezes a Roménia e nos últimos anos ganhámos sempre, por isso espero que consigamos manter essa tendência.

Estamos entusiasmados, com muita vontade de começar, e queremos traduzir as nossas palavras e o trabalho das últimas semanas em golos e em vitórias, porque queremos muito chegar ao patamar com o qual sonhamos.

Topo