Denisov tenta inspirar Rússia a repetir 1999

O domínio da Espanha sobre a Rússia apenas foi interrompido na final de 1999 e, antes das meias-finais, o guarda-redes russo nesse jogo, Oleg Denisov, avalia a rivalidade.

Oleg Denisov, guarda-redes da Rússia na final de 1999, está em Antuérpia
Oleg Denisov, guarda-redes da Rússia na final de 1999, está em Antuérpia ©Sportsfile

Quando a Espanha defrontar a Rússia na meia-final de quinta-feira do UEFA Futsal EURO 2014 os dois conjuntos vão retomar a mais antiga das rivalidades na competição, mas que está, no entanto, fortemente inclinada para o lado espanhol.

Apenas numa edição das oito anteriores fases finais disputadas as duas equipas não se encontraram e a Espanha ganhou seis dos sete encontros entre elas, incluindo as finais de 1996, 2005 e 2012, para além de ter afastado a Rússia de três edições do Campeonato do Mundo.

A excepção ocorreu em 1999, na final de Granada, onde os russos levaram a melhor no desempate por grandes penalidades graças a um disparo do lendário Konstantin Eremenko, cujo tento nesse encontro elevou para 11 o registo numa fase final, número que nunca foi, sequer, ameaçado.

A equipa de 1999 continua a ser uma referência para o futsal russo e o actual seleccionador, Sergei Skorovich, promoveu um encontro desse conjunto com o actual antes da viagem para Antuérpia. Entretanto, o homem que defendeu duas grandes penalidades no desempate da final, Oleg Denisov, tem estado na Bélgica. Secretário-geral do MFK Dina Moskva e jornalista, Denisov falou ao UEFA.com sobre a partida de há 15 anos e também da meia-final de quinta-feira.

UEFA.com: Quais os segredos que a equipa de 1999 partilhou com os jogadores da Rússia antes de deixaram Moscovo rumo a Antuérpia e será que eles ajudaram?

Oleg Denisov: Cada um de nós tem os seus segredos a partilhar. Pessoalmente disse que temos uma grande oportunidade de repetir o sucesso de 1999. Alguns jogadores da Rússia poderão ter a sua última oportunidade de se sagrarem campeões da Europa e terão que a aproveitar. Acredito que este encontro foi bom para eles e que, de alguma maneira, os terá ajudado. Demos-lhe uma espécie de empurrão. Se não estiver errado, este encontro com os veteranos, como agora somos chamados, aconteceu pela primeira vez em 15 anos.

UEFA.com: Quanto é que acha que o futsal mudou e quais as maiores diferenças?

Denisov: O nosso futsal era mais parecido com o futebol, parecia muito mais futebol. Agora, o futsal afasta-se cada vez mais do futebol, pois surgem novas combinações específicas e as bolas paradas foram implementadas no futsal. Tínhamos os nossos truques no futsal do nosso tempo e tentávamos usá-los. A maior diferença é na componente táctica.

UEFA.com: Espera que a Rússia jogasse tão bem na fase final, em especial como se viu nos quartos-de-final contra a Roménia?

Denisov: Sim, esperava. Estava certo do favoritismo da Rússia. Pelo menos, não menos que a Espanha. Um deles ganhará a final. Os jogos que vi aqui apenas me deram mais motivos para estar confiante. A Espanha não começou tão bem e algumas dúvidas poderão ter sugerido, mas, depois disso, mostraram quem são. Portugal e Itália poderão competir com Espanha e Rússia apenas se tiverem num dia de sorte - o que poderá acontecer.

Topo