Árbitros trabalham no duro no Futsal EURO

Mark Birkett fala ao UEFA.com sobre a agitada mas gratificante vida dos árbitros no Futsal EURO enquanto Pedro Galán Nieto explica as inovações na fase final de 2014.

Mark Birkett (segundo à direita) e os colegas árbitros alinham antes do jogo de abertura entre a Rússia e a Holanda
©Sportsfile

A primeira semana do UEFA Futsal EURO 2014 tem sido agitada para todos os envolvidos, árbitros incluídos.

“Tenho estado muito ocupado neste campeonato, até domingo estive em cinco jogos [em seis dias]", contou ao UEFA.com o árbitro inglês Mark Birkett. “Tive apenas uma folga desde que aqui cheguei, por isso tem sido tão exigente, fisicamente por causa dos jogos, mas também mentalmente, uma vez que nos obriga a ter de baixar o ritmo quando passamos do campo para árbitro de mesa, pois todos os papéis e responsabilidades mudam. Por isso, desempenhar os dois papéis sem ter um dia para poder desligar entre eles tem sido exigente mas, ao mesmo tempo agradável.”

Birkett é um dos 16 árbitros de outras tantas nações presentes na competição, supervisionados por quatro instrutores, igualmente antigos árbitros internacionais. “Até aqui, o torneio tem sido uma boa experiência”, disse Birkett, que também esteve presente no UEFA Futsal EURO 2012, na Croácia, e apitou a final do Campeonato do Mundo, em Banguecoque, no final do mesmo ano. “Já tivemos bons jogos, alguns muito exigentes. A organização tem sido muito boa, os pavilhões são maravilhosos e o espectáculo que a UEFA nos tem proporcionado tem sido brilhante.”

Juntos num andar no hotel do torneio, Birkett referiu: “Estarmos juntos é bom porque estamos constantemente em contacto, dá-nos a oportunidade de relaxar com os nossos colegas, de podermos falar sobre os jogos mas também de conversar sobre outras coisas. Em suma, de conhecermos melhor os nossos colegas, como pessoas.”

“O que pretendem aqui, com o programa de formação e reuniões técnicas, faz-nos estar reunidos como grupo desde manhã cedo e durante o dia, incluindo no decorrer dos jogos. O nosso plano de treino foi especificamente elaborado como árbitros de futsal a fim de maximizar o nosso esforço durante o jogo. Não apenas fisicamente mas também mentalmente, o que tem contribuído para nos ajudar a ter uma actuação mais bem-sucedida em campo.”

Uma inovação em Antuérpia tem sido as reuniões antes do torneio entre os instrutores de arbitragem e as equipas, algo já habitual nos últimos anos nos torneios da UEFA de futebol, mas novidade no futsal. O instrutor Pedro Galán Nieto, de Espanha, explicou: "Queremos que eles saibam que o curso que decorreu em Novembro organizado pelo UEFA com os árbitros que estão aqui presentes se destinou a unificar o critério das regras do futsal. E as mesmas instruções que demos aos árbitros, demos às equipas."

Birkett acrescentou: “Isto definitivamente ajuda à criação de laços entre a família dos árbitros e a família dos jogadores. O futsal é uma espécie de família e estamos todos aqui para aprender uns com os outros, e para levar a modalidade ao patamar que desejamos.”

Topo