O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Portugal não treme na estreia

Portugal 4-1 Azerbaijão
A selecção portuguesa ficou mais perto de atingir os quartos-de-final, ao bater o Azerbaijão no seu jogo de estreia no Grupo D.

João Matos esteve na origem do segundo golo de Portugal
João Matos esteve na origem do segundo golo de Portugal ©Action Images

Portugal deu um passo de gigante rumo ao apuramento para os quartos-de-final do UEFA Futsal EURO 2012, ao bater o Azerbaijão, por 4-1, no seu jogo de estreia no Grupo D.

Frente a um adversário que já tinha batido nas meias-finais do último Europeu, Portugal marcou dois golos no espaço de um minuto da primeira parte, através de Cardinal e Felipe (na própria baliza). Rajab Farajzade reduziu ainda antes do intervalo, mas Marinho e Ricardinho selaram o triunfo da equipa de Jorge Braz, que até já pode estar apurada quando defrontar a Sérvia no domingo.

O encontro começou a um ritmo frenético, com as duas equipas a tentarem chegar ao golo desde o apito inicial. E foi Portugal quem aproveitou a embalagem para marcar dois golos de rajada com apenas quatro minutos disputados. Ricardinho, que já tinha obrigado o veterano guarda-redes Andrey Tveryankin a uma fantástica defesa, esteve na origem do primeiro golo, com o seu remate inicial a proporcional a recarga vitoriosa de Cardinal.

O 2-0 surgiu apenas 43 segundos volvidos, quando João Matos tentou assistir Cardinal, acabando Felipe por fazer autogolo quando tentava o corte. O Azerbaijão parecia incapaz de parar a velocidade e a técnica do adversário, mas os comandados de Alesio foram, aos poucos, estabilizando o seu jogo e logaram mesmo reduzir pouco depois por intermédio de Farajzade, que fez a bola passar por baixo do corpo de João Benedito.

Cardinal desperdiçou duas oportunidades de ouro para aumentar a vantagem portuguesa antes do intervalo, mas o Azerbaijão também chegava com perigo à baliza portuguesa, pelo que a incerteza no marcador e a qualidade do futsal praticado iam fazendo as delícias dos adeptos presentes na Arena Zagreb.

O equilíbrio foi a palavra de ordem no arranque da etapa complementar, com Vitaliy Borisov e Ricardinho a ficarem muito perto do golo em jogadas praticamente seguidas. Bem mais eficaz foi Marinho, que aproveitou uma boa assistência de Ricardinho para bater Tveryankin com um remate cruzado. O Azerbaijão tinha ainda 15 minutos para tentar evitar um jogo do tudo ou nada na última jornada, mas Portugal não mais vacilou e Ricardinho deu mesmo a estocada final com um fantástico "chapéu".