O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Pedro orgulhoso com invencibilidade da Espanha

"Não podíamos falhar", destacou Pedro Rodríguez após marcar o golo com que a Espanha bateu a França e prolongou para 50 os jogos sem perder em apuramentos para Mundiais.

Pedro Rodríguez festeja com Xabi Alonso depois de marcar o golo da Espanha em França
Pedro Rodríguez festeja com Xabi Alonso depois de marcar o golo da Espanha em França ©Getty Images

Embora sem saber muito bem como marcou o seu 12º golo com a camisola da selecção de Espanha, no triunfo por 1-0 sobre a França, na noite de terça-feira, o extremo Pedro Rodríguez mostrou-se extremamente feliz por ter ajudado o seu país a atingir a marca de 50 jogos consecutivos sem perder em fases de qualificação para o Campeonato do Mundo.

Na 26ª internacionalização pela selecção principal, o jogador do FC Barcelona assinou o único golo da partida à passagem do minuto 58 e apagou assim a frustração do empate 1-1 diante da Finlândia, em casa, na sexta-feira passada, recolocando a equipa orientada por Vicente del Bosque no topo da classificação do Grupo I com um ponto de vantagem sobre a França. "Vencer aqui era crucial e sabíamos que não podíamos falhar", explicou Pedro, de 25 anos, no final do encontro. "Foi um triunfo muito importante e estou realmente muito satisfeito por a coisas terem corrido como correram."

Apesar do esforço do guarda-redes de França, Hugo Lloris, que ainda conseguiu tocar na bola mas não conseguiu evitar o golo de Pedro, os pupilos de Didier Deschamps viram-se mesmo em desvantagem no marcador aos 13 minutos do segundo tempo e acabariam, mais tarde, por ficar reduzidos a dez jogadores, devido à expulsão do médio Paul Pogba, situação que ajudou a sofrerem o primeiro desaire no agrupamento. "Corri para a pequena área para chegar à bola e consegui tocar-lhe", explicou Pedro sobre o lance decisivo do encontro. "Felizmente, a bola acabou por entrar mas, para ser honesto, não sei muito bem como."

O jogador, natural das Ilhas Canárias, tinha apenas cinco anos quando a Espanha perdeu o último desafio em fases de qualificações para o Mundial, numa derrota por 1-0 frente à Dinamarca, em Copenhaga, a 31 de Março de 1993. Flemming Povlsen foi o autor do golo do triunfo dos dinamarqueses nesse encontro e poucos dos que estiveram no Parken Stadium podiam antever que os adversários desse encontro dos então campeões europeus iriam embarcar, a partir daí, numa série de 50 jogos invictos em fases de apuramento para Mundiais.

Para o seleccionador dos actuais campeões da Europa e do Mundo, Del Bosque, esta vitória em França confere enorme ímpeto ao moral da equipa, depois das dúvidas levantadas na sequência do empate com a Finlândia, em Gijon. "Por vezes surgem dúvidas, mas esta noite reafirmamos a crença e a convicção na nossa qualidade", afirmou. "Os nossos jogadores demonstraram uma grande maturidade; esta noite foram verdadeiros homens em campo."

Embora admitindo que a Espanha passou por "alguns sustos" na capital francesa, o treinador de 62 anos afirmou que "a perspectiva de ficar cinco pontos atrás da França na classificação estava a pesar muito sobre a equipa", pelo que o triunfo constituiu um enorme alívio. "Estamos a prosseguir o nosso caminho, rumo à qualificação, e embora gostasse de selar o nosso apuramento para a fase final o mais depressa possível, ainda estamos longe de lá chegar", concluiu.