O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
A partir de 25 de Janeiro, o UEFA.com já não vai suportar o Internet Explorer.
Para obter a melhor experiência possível, recomendamos que use o Chrome, o Firefox ou o Microsoft Edge.

Qualificação recomeça com muito em disputa

Luta pela liderança, encontro entre amigos e vários recordes de invencibilidade são os destaques no recomeço da qualificação para o Mundial de 2014, esta sexta-feira.

Os jogadores da Bósnia e Herzegovina aplaudem os seus adeptos após o empate na Grécia
Os jogadores da Bósnia e Herzegovina aplaudem os seus adeptos após o empate na Grécia ©Fedja Krvavac

Uma luta pela liderança, "amigos" que se transformam em rivais e vários recordes de invencibilidade são os destaques, à medida que o UEFA.com analisa os jogos desta sexta-feira, de qualificação para o Campeonato do Mundo de 2014.

Um símbolo de união inabalável no Verão passado, Polónia e Ucrânia vão colocar de lado qualquer lealdade que ainda pudesse subsistir, quando os dois co-anfitriões do UEFA EURO 2012 lutarem pela supremacia em Varsóvia. A importância da vitória não pode ser subestimada por qualquer uma das equipas, já que os anfitriões, dirigidos por Waldemar Fornalik, pretendem acompanhar o ritmo do Montenegro, líder do Grupo H, e da Inglaterra, segunda classificada, que tem três pontos de vantagem sobre os polacos.

Entretanto, a Ucrânia está precariamente colocada, no antepenúltimo lugar, com apenas dois pontos em três jogos. No entanto, existe uma réstia de optimismo, no seguimento de duas vitórias consecutivas em amigáveis, frente a Bulgária e Noruega, e com o seu novo treinador, Mykhailo Fomenko, desejoso de encetar uma recuperação.

Outro encontro de vital importância tem lugar no Grupo G, com os líderes Bósnia e Herzegovina e Grécia – ambos com dez pontos – se defrontarem em Zenica. Existe mais do que uma ligeira expectativa em relação a este jogo, já que a equipa da casa marcou 15 golos em quatro jogos, enquanto a sólida defesa grega sofreu apenas um em igual número de jogos. De facto, a dupla mortífera composta por Edin Džeko e Vedad Ibišević, que soma nove golos na fase de qualificação, não foi eficaz quando as equipas empataram a zero no Pireu, em Outubro passado.

No Grupo C, a Suécia pode consolidar o segundo lugar com um triunfo sobre a República da Irlanda, segunda classificada e mais directo perseguidor. A equipa de Erik Hamrén anulou uma desvantagem de quatro golos para alcançar um milagroso empate a quatro frente à Alemanha, no seu último jogo oficial. Um mês depois fez história, quando Zlatan Ibrahimović marcou os quatro golos na vitória por 4-2 sobre a Inglaterra, num amigável que serviu para inaugurar a nova Friends Arena. Entretanto, com três pontos de vantagem na liderança e um jogo a mais, a invicta Alemanha desloca-se até ao Cazaquistão.

Quanto ao homólogo escandinavo da Suécia, a Dinamarca – sem ganhar após três jogos no Grupo B – enfrenta uma tarefa complicada frente à República Checa, com o terceiro classificado revigorado pela vitória sobre a Turquia, por 2-0, num amigável realizado em Fevereiro. A formação de Michal Bílek está a cinco pontos da Itália, líder do grupo.

Israel enfrenta um teste difícil para segurar o segundo lugar do Grupo F, quando defrontar Portugal no Ramat Gan. Os "azuis-e-brancos" responderam à derrota caseira frente à Rússia, por 4-0, em Setembro, com nove golos sem resposta frente ao Luxemburgo, em vitórias consecutivas. Da sua parte, a "equipa das quinas" ainda continua a recuperar do empate a um com a Irlanda do Norte, em Setembro, e do desaire por 3-2 no amigável com o Equador, em casa, no mês passado.

Por fim, a conquistadora Espanha e a rival França lideram no Grupo I, e parece pouco provável que isso mude, já que recebem Finlândia e Geórgia, respectivamente, enquanto a Holanda – que detém um registo 100 por cento vitorioso – recebe a Estónia no Grupo D.

Conteúdos relacionados