Jogadora do Ano da UEFA: argumentos de Harder

Pernille Harder é uma das três nomeadas para Jogadora do Ano da UEFA. O UEFA.com olha para os argumentos que poderão levar a atacante do Wolfsburgo e capitã da Dinamarca a conquistar o prémio.

Irá Harder ser eleita Jogadora do Ano da UEFA?
Irá Harder ser eleita Jogadora do Ano da UEFA? ©UEFA.com

Capitanear a selecção principal do nosso país com 92 internacionalizações e 47 golos quando se tem apenas 24 anos é algo de impressionante. Apenas um dos feitos de 2016/17 que confirmam Pernille Harder como uma das melhores futebolistas do mundo.

Presença habitual na selecção principal da Dinamarca desde os 17 anos, Harder impressionou na Liga sueca desde que aí chegou, em 2012, para representar o Linköping, mas em 2016 definitivamente o nível do seu jogo ao somar uma média superior a um golo por jogo pelos campeões da Suécia, números que lhe valeram uma transferência para o Wolfsburgo no último Inverno.

Harder, Marozsán ou Martens?
Harder, Marozsán ou Martens?

Titular indiscutível no novo clube, a Jogadora Dinamarquesa do Ano em 2015 e 2016 ajudou o Wolfsburgo a somar a "dobradinha", Liga e Taça, na Alemanha. Depois, no UEFA Women's EURO 2017, liderou a Dinamarca rumo à sua primeira presença em finais de grandes competições, exibindo-se a grande altura no triunfo dos quartos-de-final sobre a favorita e campeã Alemanha; marcou um golo na final, insuficiente para evitar a derrota por 4-2 frente à anfitriã Holanda.

Títulos: Liga sueca (2016), Liga alemã, Taça da Alemanha

Domestic league
Linköping 2016
Jogos: 22
Golos: 24
Wolfsburgo 2016/17
Jogos: 12
Golos: 6

Como a Dinamarca surpreendeu a Alemanha
Como a Dinamarca surpreendeu a Alemanha

UEFA Women's Champions League
Jogos: 2
Golos: 0
Assistências: 0

UEFA Women's EURO
Jogos: 6
Golos: 1
Assistências: 1

Paul Saffer, editor de futebol feminino do UEFA.com:

  • Harder mostrou ser capaz de jogar com igual qualidade a actuar como avançada principal ou, como fez pela Dinamarca, no apoio à ponta-de-lança mais adiantada.
  • O seu fantástico golo na sequência de um lance individual com o qual empatou, na altura, a 2-2 a final do UEFA Women's EURO comprova toda a sua qualidade técnica e capacidade de liderança.
  • Provou ser uma jogadora de topo em duas das Ligas mais competitivas da Europa em termos de futebol feminino: a Liga sueca e a Liga alemã.