Penalties colocam Suécia na final

Alemanha 3-3 Suécia (a.p., 2-4 nas grandes penalidades) Um autogolo aos 88 minutos de Michaela Brandenburg abriu a porta à vitória sueca nos penalties.

See the best of the action from the last-four match in Netanya.

Emma Holmgren defende dois penalties na decisão em que a Suécia prevalece
Stina Blackstenius quebra o recorde de Elena Danilova com o seu 18º golo numa época no EURO Sub-19 feminino
A Suécia defronta França ou Espanha na final de segunda-feira, em Netanya
Golo aos 88 minitos da Suécia obriga a prolongamento e a grandes penalidades
A Alemanha começa a época 2015/16 na fase de qualificação, em Setembro

A Suécia qualificou-se para a final do Campeonato da Europa Feminino Sub-19 da UEFA, após bater a Alemanha, nas grandes penalidades, por 4-2, depois de um empate 3-3 no final do prolongamento.

Pese embora o ímpeto inicial das alemãs, que fez com que se tivessem adiantado no marcador graças a um remate de cabeça de Rebecca Knaak (12) - o seu segundo golo na prova -, foram as suecas as exercerem o domínio até ao intervalo.

Baseando o seu jogo na capacidade explosiva de Stina Blackstenius, a Suécia repôs a igualdade quando a goleadora surgiu a servir Tove Almqvist (21). Depois de a poderosa avançada - Cláudia Neto no Linköping FC - ter atirado para defesa de Lena Pauels (31), a guarda-redes alemã nada pôde fazer quando Blackstenius (44), de cabeça, fez o seu terceiro golo da prova e deu a vantagem às suecas na saída para o descanso.

Depois de a número 9 da Suécia ter igualado o recorde de 17 golos na prova, que pertencia a Elena Danilova, a reacção da Alemanha fez perigar todo o esforço da primeira parte, com Nina Ehegötz (58) a repor a igualdade antes de a suplente Madeleine Gier (78) completar a reviravolta.

As suecas acusavam fadiga, mas quando a bola voltou a Blackstenius, o resultado foi o empate, com a bola a desviar em Michaela Brandenburg (88) antes de obrigar as equipas a seguir para o prolongamento.

E com o prolongamento a nada acrescentar, o desfecho deu-se nas grandes penalidades, onde as suecas aproveitaram os três pontapés desperdiçados pelas alemãs para, na derradeira conversão, a cargo de  Rebecka Blomqvist, decidir a meia-final a seu favor (2-4) e, assim, qualificar-se para a terceira final da sua história.

Topo