Bíróová espera impulso no futebol feminino

O Campeonato da Europa Feminino de Sub-19 da UEFA pode ser a força motriz para o desenvolvimento do futebol feminino na Eslováquia, segundo Alexandra Bíróová.

Bíróová espera impulso no futebol feminino
©UEFA.com

Ser o país anfitrião do Campeonato da Europa Feminino de Sub-19 da UEFA constitui uma grande oportunidade para impulsionar o futebol feminino na Eslováquia, segundo Alexandra Bíróová, jogadora da selecção e com experiência na UEFA Women's Champions League e a trabalhar também em projectos de desenvolvimento de futebol feminino no seu país.

UEFA.org: Como se sente por ter a fase final a decorrer na Eslováquia?

Alexandra: É uma grande oportunidade utilizar o torneio para aumentar o número de raparigas a praticar futebol e, de uma forma diferenciada, promover o futebol feminino.

UEFA.org: Como vão capitalizar isso?

Alexandra: Não é frequente ver muito sobre o futebol feminino nos jornais nacionais ou na televisão na Eslováquia. Aqui, os três jogos da fase de grupos foram transmitidos para todo o país e os jornais começaram também a escrever sobre isso. Há mais informação e mais vídeos na internet do que nunca.

UEFA.org: Descreva os projectos de desenvolvimento do futebol feminino que tem na Eslováquia.

Alexandra: Temos um novo projecto de formação nas raízes que inclui o futebol feminino e que deverá começar em Setembro. Queremos levar mais futebol aos primeiros anos escolares (entre os seis e dez anos) para os rapazes e raparigas. Temos alguns grandes torneios escolares mas a maior parte dos miúdos e as equipas não participam regularmente. Com este projecto, queremos que os mais jovens tenham futebol como actividade extra-curricular duas vezes por semana.

UEFA.org: Fale-nos do apoio que a federação está a prestar no crescimento do futebol feminino.

Alexandra: Eles têm apoiado muito o futebol feminino, a cada ano tentam fazer mais. Receber o Campeonato da Europa feminino Sub-19 é um bom exemplo de como a federação se preocupa com o futebol feminino de elite além de que sabemos que há mais trabalho para fazer também ao nível das raízes.

UEFA.org: De que forma a sua experiência como jogadora nas principais competições europeias a ajuda no trabalho com a federação?

Alexandra: Eu procuro usar todos os bons exemplos dos outros países, em particular da Áustria [onde alinha pelo FSK Spratzen St.Pölten] e tento aplicá-los na Eslováquia, claro que sempre respeitando a individualidade do meu país. Porque haveríamos de inventar quando há tantos bons exemplos inspiradores à nossa volta?

Topo