O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Itália e Norueuga põem amizades de lado

O seleccionador da Itália, Corrado Corradini, e o seu homólogo da Noruega, Jarl Torske, não têm segredos entre si, mas fazem questão de salientar que o jogo das meias-finais "não será amigável".

Corrado Corradini e Jarl Torske após a conferência de imprensa de terça-feira
Corrado Corradini e Jarl Torske após a conferência de imprensa de terça-feira ©Sportsfile

As duas selecções encontram-se no Campeonato da Feminino de Europa de Sub-19 pela primeira vez desde a final de 2008, quando um golo de Alice Parisi no arranque do segundo tempo valeu à Itália o seu primeiro título e negou tal feito à Noruega. Desta feita, as anfitriãs ultrapassaram o Grupo A com um registo 100 por cento vitorioso, enquanto oito golos em dois jogos permitiram às norueguesas seguir em frente após o desaire no jogo inaugural, ante a Alemanha.

O que dizem os treinadores
• Corrado Corradini, Itália
Somos duas equipas diferentes, com mentalidades diferentes, mas ambas vão partir em busca do mesmo objectivo. Queria encontrar o meu amigo Jarl apenas na final, mas a vida é assim. Garantimos já um lugar no Campeonato do Mundo Feminino de Sub-20 ao atingirmos as meias-finais e, agora, queremos proporcionar um bom espectáculo aos nossos adeptos – não vai ser um jogo amigável. Apesar de jogarmos em casa, elas terão alguma vantagem com toda a chuva e vento que se tem feito sentir – é um clima mais próprio da Noruega. Não posso prever o que vai acontecer, mas esqueci-me de treinar penalties, pelo que espero que não necessitemos de recorrer ao desempate por pontapés da marca de grande penalidade. Estava algo cauteloso relativamente à fase de grupos, pois não sabia qual era realmente o nosso estado de forma, mas fiquei satisfeito.

• Jarl Torske, Noruega
Tivemos um arranque complicado frente à Alemanha, mas estou muito satisfeito por termos conseguido reagir da melhor maneira – a vitória sobre Espanha foi uma das nossas melhores exibições a este nível. Os jogos entre Noruega e Itália são sempre fascinantes e tenho enorme respeito pelas nossas adversárias. Estou certo de que será um encontro muito equilibrado. A Itália tem mostrado muito empenho e fiquei impressionado com a força da sua defesa, mas também conta com excelentes jogadoras no ataque. As únicas semelhanças com 2008 são mesmo apenas Corrado e eu [ainda que a capitão italiana Martina Rosucci também volte a estar presente]. Gostaria, naturalmente, de me desforrar da derrota nessa final, mas não é esse o pensamento que mais domina a minha cabeça.

Percurso até às meias-finais
Itália: 2-1 Rússia, 1-0 Suíça, 3-1 Bélgica
Noruega: 1-3 Alemanha, 3-0 Holanda, 5-1 Espanha

Últimos três confrontos
03/03/10: Itália 0-0 Noruega – amigável; La Manga, Espanha
13/03/09: Itália 4-4 Noruega – amigável; La Manga, Espanha
19/07/08: Itália 1-0 Noruega – final, Tours, França

Jogadoras-chave
• Claudia Mauri/Michela Franco, Itália
As batalhadoras centrocampistas (Franco tem a alcunha de Gattuso) são os principais pilares da "squadra azzurra". Sempre disciplinadas à frente do quarteto defensivo, a sua consciência táctica permite à Itália atacar sem nunca descurar a retaguarda.

• Melissa Bjånesøy, Noruega
Rápida, forte e exímia nas movimentações, a ponta-de-lança do IL Sandviken soma já cinco golos aos sete apontados durante a fase de qualificação. Muitos acreditam que não tardará a afirmar-se na selecção principal norueguesa.

Palmarés no Campeonato da Europa Feminino de Sub-19
Itália – vencedora, 2008
Noruega – finalista vencida, 2003, 2008