O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Islândia leva Alemanha ao limite

Alemanha 4-2 Islândia
A equipa da casa recuperou algum orgulho em Grindavik, mas a Alemanha conseguiu terminar o grupo com um registo 100 por cento vitorioso.

O encontro entre a Alemanha e a Islândia em Grindavik produziu seis golos, embora ambas as equipas apenas tivessem em jogo o seu orgulho nesta partida do Grupo A do Campeonato da Europa Feminino de Sub-19.

Muitos golos
A Alemanha, vencedora do grupo, marcou quatro dos golos do encontro - por intermédio de Imke Wübbenhorst, Nadine Kessler, Nathalie Bock e Isabel Kerschowski – enquanto a Islândia, apesar de sofrer a sua terceira derrota consecutiva, mostrou do que é capaz e marcou por duas vezes, graças a um bis de Fanndis Fridriksdóttir.

Vantagem alemã
Num jogo bastante emotivo, bastaram oito minutos para Wübbenhorst corresponder da melhor forma ao cruzamento de Nicole Banecki e cabecear para o fundo da baliza. O seleccionador alemão Maren Meinert optou por deixar as gémeas Kerschowski, dando oportunidade a Lisa Schwab para brilhar no ataque. Mas foi a capitã Kessler quem ampliou a vantagem alemã, marcando na sequência de um pontapé de canto. Wübbenhorst rematou à trave da baliza islandesa, antes da selecção anfitriã dispor da sua melhor ocasião no primeiro tempo à passagem dos 43 minutos, com Laufey Björnsdóttir a não conseguir bater a guarda-redes Jana Burmeister, após um mau atraso da defesa alemã.

Resistência islandesa
Isabel Kerschowski, entrada após o intervalo, obrigou a Nº1 da Islândia, Ása Adalsteinsdóttir, a uma boa intervenção, pouco antes de rematar à trave. Com Sara Björk Gunnarsdóttir a comandar a resistência islandesa a partir do meio campo, a formação orientada por Olafur Thör Gudbjörnsson começou a ganhar algum ascendente. Os seus esforços foram recompensados aos 60 minutos, quando Fridriksdóttir desarmou Burmeister e colocou a bola no fundo da baliza deserta. A guarda-redes alemã redimiu-se depois, ao negar o golo a Fridriksdóttir, que surgiu isolada. Na sequência do respectivo pontapé de canto, as comandadas de Maren Meinert partiram para o contra-ataque e Kessler desmarcou Bock, que marcou sem dificuldade.

Kerschowski não desperdiça
Ainda assim, a Islândia voltou a reagir. A sempre muito activa Fridriksdóttir efectuou um perigoso cruzamento que ninguém aproveitou e, depois, apontou o seu terceiro golo nesta fase final, a passe de Linda Rós Thorláksdóttir. O 3-2 no marcador reacendeu as esperanças da equipa da casa, mas, contra a corrente de jogo, Isabel Kerschowski encontrou-se isolada frente a Adalsteinsdóttir e não desperdiçou.