Combata a COVID-19 seguindo as indicações da Organização Mundial de Saúde e os cinco passos da FIFA para travar a propagação da doença.

1. Lavar as mãos 2. Tossir para o antebraço 3. Não tocar no rosto 4. Manter a distância física 5. Ficar em casa.
Mais informação >
 

Dinamarca vence primeiro título

A Dinamarca mostrou boa forma fora de casa para conquistar o primeiro Campeonato da Europa Feminino de Sub-18 da UEFA.

A Dinamarca fez a festa em 1998
A Dinamarca fez a festa em 1998 ©Sportsfile

Embora já tenham sido disputados vários torneios internacionais juvenis femininos que envolviam principalmente países nórdicos antes do primeiro Campeonato da Europa Feminino de Sub-18, a primeira partida oficial a este nível ocorreu em 23 de setembro de 1997, quando a Suécia defrontou a Ucrânia na ronda preliminar com 26 equipas.

A Suécia venceu por 8-0 em Sandviken - Petra Johnsson marcou aos sete minutos e Therese Lundin apontou um “hat-trick” - e liderou o grupo depois de derrotar a Lituânia por 19-0, em parte graças a cinco golos de Lundin. Nos dois meses seguintes, as sete vagas restantes nos quartos-de-final foram preenchidas pela Noruega, Rússia, Dinamarca, Alemanha, Holanda, Itália e França.

A França foi a única nação a não progredir com o máximo de pontos, tendo batido a Inglaterra na diferença de golos, com as duas equipas invictas. Os jogos dos quartos-de-final foram disputados em duas mãos, em Abril e Maio de 1998. A Alemanha, sob o comando de Silvia Neid, foi a primeira equipa a seguir em frente, depois de uma vitória por 2-1 na Noruega e por 3-2 em casa, seis dias depois.

No que toca aos outros três semifinalistas, a Suécia derrotou a Itália por 1-0 em casa e por 4-0 em Perugia, enquanto a França somou uma vitória em casa, pela margem mínima, ante a Rússia, além de um triunfo de 2-0 em Selyatino. O embate mais renhido foi entre a Holanda e a Dinamarca, com a vitória fora por 2-1 da Dinamarca a ser suficiente, apesar da derrota em casa por 1-0.

A Dinamarca aproveitou ao máximo esse resultado. Depois de travar a Alemanha em casa com um empate a zero, na primeira mão das meias-finais, Signe Højen Andersen marcou o único golo aos 57 minutos em Flensburg para manter a boa forma da sua selecção fora de portas. Porém, não haveria uma final totalmente escandinava, já que a França derrotou a Suécia por 5-3 nos penalties, depois de um resultado de 2-0 nas duas mãos.

Ao contrário dos anos vindouros, a final foi disputada a duas mãos. Desta vez, a Dinamarca teve sucesso em casa, quando Majbritt Knudsen marcou aos seis e 86 minutos na primeira mão, em Åbenrå. Uma semana depois, em Niederbronn-les-Bains, Lydie Devaud deu à França a vantagem aos dez minutos, com Gitte Pedersen a marcar um inconsequente golo fora de portas à beira do intervalo.

Karina Pedersen garantiu praticamente a vitória aos 73 minutos e, embora Isabelle Le Denmat e Ellen Pogeat tenham marcado, a França ainda precisava de mais dois quando o apito final confirmou a Dinamarca como vencedora da edição inaugural da prova, por 4-3.

Topo