Adversárias do Grupo A destacam oportunidade única

Orgulho, vontade de aprender e de elevar os padrões do futebol feminino foram aspectos comuns do discurso dos responsáveis técnicos das selecções que compõem o Grupo A.

Os responsáveis técnicos das selecções do Grupo A posam ao lado do troféu
Os responsáveis técnicos das selecções do Grupo A posam ao lado do troféu ©Sportsfile

Os responsáveis técnicos das selecções que compõem o Grupo A não esconderam os sentimentos de orgulho e gratidão ao falarem, esta segunda-feira, das respectivas ambições na fase final do Campeonato da Europa Feminino de Sub-17.

A seleccionadora da Inglaterra, Lois Fidler, mostrou-se particularmente entusiasmada durante a conferência de imprensa pré-torneio, em St George's Park, numa altura em que a sua nação está pronta para receber a primeira edição da prova com oito selecções finalistas, no ano do 150º aniversário da Federação Inglesa de Futebol (FA). "É um privilégio estarmos envolvidas pela primeira vez desde 2008", destacou. "Estamos determinadas em fazer subir o nível do futebol feminino e em trazer mais raparigas para esta modalidade. Trata-se de uma oportunidade fantástica."

Fidler realçou igualmente o valor educativo da campanha da Inglaterra, pronta para as exigências do futebol internacional. "Espero que as jogadoras desfrutem deste momento, aprendam e percebam o quanto é importante a preparação. Estes torneios são muito importantes para elas crescerem enquanto pessoas e enquanto atletas se quiserem, um dia, dar o passo para o escalão sénior", explicou.

Para Portugal, por seu lado, este evento representa uma preciosa oportunidade para exibir o talento que lhe permitiu ultrapassar a Ronda de Elite como melhor segunda classificada, no Grupo 3. "Queremos demonstrar a nossa qualidade e espalhar magia por este torneio", afirmou seleccionadora Susana Cova. "Queremos melhorar e levar estas jogadoras mais longe. Com este interesse mediático, é importante mostrar o nosso valor para inspirar mais raparigas a abraçarem o futebol em Portugal."

A Itália também se mostra determinada a brilhar em terras inglesas e o seleccionador Enrico Sbardella promete manter-se fiel ao estilo de jogo ofensivo já no encontro inaugural, terça-feira, frente à formação anfitriã. "Vamos apostar num futebol técnico, de olhos postos no ataque", garantiu. "É complicado ensinar estas raparigas a defenderem sem bola. Defrontámos a Inglaterra no ano passado e Portugal já este ano. Também já medimos forças com a Áustria, pelo que é fantástico voltar a encontrar estas equipas e mostrar aquilo de que somos capazes."

A Áustria partilha a mesma ambição da "squadra azzurra", apesar de estar também presente pela primeira vez numa fase final da prova. "Temos enorme orgulho por estar aqui, é um enorme feito para nós", exultou o seleccionador Dominik Thalhammer, que tem obtido sucesso sem precedentes desde a chegada ao cargo, em 2011. "Espera-nos um grupo muito complicado, mas tudo é possível. O nosso objectivo é estarmos à altura do nosso potencial. Não contávamos estar aqui, mas estamos gratos aos progressos proporcionados pela nossa academia desde 2011. Queremos desfrutar da experiência; as minhas jogadoras estão muito entusiasmadas."

Jogos do Grupo A
Terça-feira: Inglaterra-Itália, Áustria-Portugal
Sexta-feira: Itália-Portugal, Inglaterra-Áustria
Segunda-feira: Portugal-Inglaterra, Itália-Áustria

Topo