Vilda: Talento da Espanha continua a brilhar

Jorge Vilda elogiou a capacidade técnica das jogadoras da Espanha após o triunfo de 3-0 sobre a Inglaterra que, na opinião de Lois Fidler, apenas pecou "no capítulo da finalização".

A Espanha está contente com futebol que tem apresentado, destaca Jorge Vilda
A Espanha está contente com futebol que tem apresentado, destaca Jorge Vilda ©UEFA.com

Jorge Vilda, seleccionador de Espanha
A primeira parte foi determinante. A Inglaterra atacou muito mas nós soubemos defender e esperar pelas nossas oportunidades. Conseguimos neutralizar as ofensivas das nossas adversárias e criar perigo sempre que tínhamos a bola em nosso poder. Chegar ao intervalo a vencer por 1-0 aumentou a nossa confiança e, no segundo tempo, não nos quisemos ficar por aí, pelo que subimos um pouco no terreno e exercemos maior pressão. Foi, pois, com naturalidade que os golos começaram a aparecer, uma vez que contamos com jogadoras extremamente dotadas tecnicamente.

As minhas jogadoras estão muito felizes porque garantiram o apuramento para o Mundial, que era um dos objectivos. Mal o jogo terminou elas quiseram saber quem tinha vencido a outra semi-final e ficaram felizes por saberem que tinha sido a Alemanha, pois é sempre especial defrontar a Alemanha numa final. Já a vencemos na fase de grupos, mas nunca há dois jogos iguais. Espero um encontro extremamente equilibrado. Não nos podemos esquecer que as alemãs são sempre favoritas, embora a diferença entre elas e nós seja cada vez menor.

Lois Fidler, seleccionadora de Inglaterra
A maior velocidade e mobilidade das nossas adversárias acabou por fazer a diferença; é algo em que teremos de continuar a trabalhar no futuro. Quero felicitar a Espanha e desejar-lhe a melhor das sortes para a final. Tentámos encorajar as nossas jogadoras a não se deixarem intimidar e tirarem partido dos nossos pontos fortes; a minha equipa foi, no seu todo, disciplinada e competitiva, mas creio que a diferença acabou por estar na frieza apresentada no capítulo da finalização.

Há que aprender a lição e seguir em frente. Penso que fomos infelizes ao não termos conseguido trazer nada de positivo d nosso primeiro embate com a Itália, na fase de grupos [derrota por 1-0] pelo que no próximo jogo vamos entrar em campo para provar isso mesmo e para conquistar o último lugar do pódio, que consequentemente nos assegurará um lugar no Mundial da Costa Rica.