Combata a COVID-19 seguindo as indicações da Organização Mundial de Saúde e os cinco passos da FIFA para travar a propagação da doença.

1. Lavar as mãos 2. Tossir para o antebraço 3. Não tocar no rosto 4. Manter a distância física 5. Ficar em casa.
Mais informação >
 

Japão bate Espanha na final do Mundial Feminino de Sub-17

O Japão bateu a Espanha na Costa Rica, por 2-0, e venceu a final do Mundial Feminino de Sub-17, numa repetição do resultado do jogo de abertura da prova.

As jogadoras da Espanha após a derrota na final contra o Japão
As jogadoras da Espanha após a derrota na final contra o Japão ©AFP

A Espanha perdeu por 2-0 frente ao Japão na final do Campeonato da Europa Feminino de Sub-17, na Costa Rica, depois de ter sido derrotada pela mesma margem na partida inaugural da competição.

Meika Nishida inaugurou o marcador, na sequência de um ressalto, no quinto minuto, após Elena De Toro ter desviado para a barra um remate de Shiho Matsubara, antes da suplente Fuka Kono fazer o resultado final a 12 minutos dos 80, lançada por Rikako Kobayashi. O resultado poderia ter sido pior para a Espanha, pois Mizuki Saihara acertou na barra nos instantes finais do encontro, mas, apesar do desfecho, o seleccionador espanhol, Jorge Vilda, ficou impressionado pelo desempenho da equipa.

"Apesar do resultado ter sido o mesmo do encontro entre as duas selecções na fase de grupos, o que sentimos depois do jogo foi completamente diferente", disse Vilda. "Criámos-lhes muitos problemas e competimos muito bem. Estou muito orgulhoso da minha equipa. Este torneio foi um sucesso sem precedentes para nós. Trouxemos a medalha de prata e praticamente todas as jogadoras estiveram, de alguma maneira, envolvidas na sua conquista. É uma daquelas experiências que vamos recordar para o resto das nossas vidas."

A Espanha, que se apurou para a competição depois de ter sido finalista vencida no Campeonato da Europa Feminino de Sub-17, realizado em Inglaterra no Inverno, começou o certame com uma derrota por 2-0 contra o Japão. Mas, depois de derrotar Nova Zelândia (3-0) e Paraguai (7-1), apurou-se para os quartos-de-final e defrontou a Nigéria, a qual derrotou por 3-0. A vítima nas meias-finais foi a Itália, vencida por 2-0 graças aos golos na segunda parte, ambos apontados de grande penalidade, de Sandra Hernández e Nahikari García.

A Itália derrotou a Venezuela por 2-0 nas grandes penalidades, depois dos 4-4 no tempo regulamentar, ficando assim com a medalha de bronze. As italianas venceram o seu grupo ao derrotarem a Zâmbia e a anfitriã Costa Rica, perdendo apenas ante a Venezuela (1-0). Derrotaram o Gana por 4-3 nos penalties nos quartos-de-final, depois do 2-2 ao cabo dos 80 minutos, resultado que lhe valeu a qualificação para as meias-finais ante a Espanha.

Por seu lado, a Alemanha, vencedora do Europeu em Dezembro, foi a única selecção da UEFA a deixar a Costa Rica depois da fase de grupos, ao empatar 2-2 ante o Canadá, mas a somar derrotas contra o Gana (1-0) e a Coreia do Norte (4-3). A França, a primeira equipa da Europa a vencer o Mundial Feminino de Sub-17, há dois anos, no Azerbaijão, não defendeu o título no continente americano, isto depois de ter sido afastada na fase de grupos da prova em Inglaterra, ao ficar atrás da Espanha e da Alemanha.

Topo