Espanha bate França nos penalties rumo à final

Espanha 1-1 França (4-3 nos penalties) Lucía García apurou a Espanha para a final após igualdade no tempo regulamentar.

Veja como a Espanha carimbou o passaporte para a final, após um dramático triunfo sobre a França no desempate por penalties.

A Espanha bateu a França no desempate por penalties, após uma emocionante igualdade 1-1 em Valsvöllur, que lhe garantiu a presença na quinta final do Campeonato da Europa Feminino Sub-17 da UEFA.

A França tinha um pé na final de sábado, na sequência de um golo de Sarah Galera aos 63 minutos, mas a um do fim, Natalie Montilla fez o empate com um excelente "chapéu". Seguiram-se os penalties e a Espanha foi mais forte, por 4-3, marcando encontro com Suíça ou Alemanha, graças à conversão de Lucía García no último pontapé. A formação ibérica tem assim a possibilidade de conquistar um terceiro título, enquanto as gaulesas vão ter de continuar à espera de uma oportunidade para uma primeira conquista nas Sub-17.

A selecção espanhola parecia mais empenhada no aquecimento – necessário na fria e chuvosa Reiquejavique –, mas a França começou melhor. Marie-Antoinette Katoto, de regresso após falhar o jogo que custou a liderança do Grupo B, perdida para a Suíça, criou duas boas oportunidades para as colegas de equipa, graças à sua força e velocidade. Na segunda delas, Inès Boutaleb, da quina da área, atirou em jeito à base do poste.

A superioridade física da França foi um factor importante e Katoto aproveitou para ultrapassar Laia Aleixandri e cruzar uma bola que Boutaleb quase converteu em golo. Quando Boutaleb retribuiu o passe, Amaia Peña defendeu aos pés de Katoto, antes de Berta Pujadas travar a número 9 francesa na recarga. O treinador espanhol, Pedro López, encorajou as suas jogadoras quando um livre de Carmen Menayo quase deu golo, e a seguir a guardiã Jade Lebastard afastou o perigo de Lucía García, enquanto Julie Piga esticou a perna para cortar uma investida ameaçadora de Menayo. A capitã de França, Piga, voltou a salvar a sua equipa com um alívio em cima da linha de golo.

Apesar de a formação de Sandrine Soubreyrand resistir à Espanha como nenhuma outra até ao momento na competição, através de um 4-3-3 que rapidamente se transformava em 4-5-1, as espanholas continuaram a ameaçar a vantagem antes do intervalo, mas García desperdiçou uma ocasião após passe de Montilla. As duas atacantes espanholas pelas alas voltaram a mostrar serviço logo no reatamento, com Montilla a obrigar Lebastard a uma defesa a dois tempos, e Menayo a atirar pouco ao lado. Boutaleb também atirou por cima, mas o jogo pendia cada vez mais para a baliza de França e García voltou a ver Lebastard brilhar, após passe de Ona Batlle.

Ainda assim, aos 63 minutos, a França conseguiu colocar-se na frente. Após uma defesa de Peña com a ponta dos dedos, a remate de Hélène Fercocq, a defesa Sarah Galera colocou as "bleuettes" a ganhar, ao marcar no canto que se seguiu. Boutaleb foi então negada por Batlle, e a Espanha usufruiu de diversas ocasiões de golo logo a seguir, com García quase a marcar após centro de Montilla, antes de a número 15 pegar no assunto ela própria, com um golo fantástico a 20 metros da baliza, num chapéu a Lebastard, aos 79 minutos.

Nos penalties, Boutaleb viu Peña defender, Galera acertou na barra antes de Patricia Guijarro não falhar. No pontapé decisivo, García fez o 4-3 e provocou a euforia nos 807 espectadores presentes.

Topo