Itália bate Portugal e apura-se para as meias-finais

Itália 2-0 Portugal
Um golo madrugador de Manuela Giugliano e outro, na segunda parte, de Gloria Marinelli, valeram à Itália o apuramento no Grupo A.

A goleadora de Itália, Manuela Giugliano (à direita) em duelo com a portuguesa Mariana Fong
©Sportsfile

A Itália cimentou a liderança no Grupo A com uma vitória por 2-0 sobre Portugal, em Hinckley, graças a golos em cada uma das partes de Manuela Giugliano e Gloria Marinelli.

Giuglano já havia marcado quando as duas selecções se enfrentaram na ronda de qualificação, em Portugal, há seis semanas, com a equipa de Susana Cova a vencer então por 2-1, com um golo marcado nos descontos. Giugliano abriu o activo do jogo da desforra aos sete minutos, recebendo uma bola lançada para as costas da defesa portuguesa por Flaminia Simonetti e, após ultrapassar Mariana Fong, bateu Catarina Barradas. A suplente entrada ao intervalo, Marinelli, consumou o triunfo quando, acorrendo a uma bola longa de Valentina Bergamaschi, atirou por cima de Barradas, quando faltavam quatro minutos para o fim.

A Itália, que já havia batida a selecção anfitriã, a Inglaterra, no jogo inaugural do Campeonato da Europa Feminino de Sub-17, disputado na terça-feira, começou a partida de forma brilhante, adequando-se melhor ao vento que se fazia sentir. E até podia ter ficado em vantagem mais cedo, mas os remates de Simonetti e de Giugliano falharam o alvo, esta última depois de uma falta de Diana Gomes sobre Bergamaschi ter oferecido à Itália um livre directo em zona de perigo.

Portugal ainda não fez golos neste torneio e as suas ameaças, na primeira parte, foram mínimas. Leandra Pereira protagonizou uma investida pela ala esquerda, mas o seu remate rasteiro acabou por seguir para as mãos de Francesca Durante. Entretanto, Inês Silva, de livre directo, fez a bola passar perto da baliza. A pressão portuguesa aumentou na segunda parte, mas só aos 72 minutos dispôs de uma situação clara de golo, com Francisca Cardoso a entrar na área, mas a não conseguir que o seu remate passasse fora do alcance de Durante.

Em contraponto, outra suplente italiana, Annamaria Serturini, deu nas vistas com as suas corridas na ala esquerda e poderia até ter chegado ao golo não fosse a guarda-redes portuguesa Barradas, por duas vezes, lhe ter negado essa alegria. Contudo, para a Itália, a missão já estava cumprida.

Topo