Dinamarca conquista bronze nos penalties

Suíça 0-0 Dinamarca (Dinamarca vence 5-4 nas grandes penalidades)
A Dinamarca conquistou o terceiro lugar pela segunda vez, após um épico desempate em Nyon.

A Dinamarca festeja a vitória
A Dinamarca festeja a vitória ©Sportsfile

A Dinamarca conquistou pela segunda vez o terceiro lugar no Campeonato da Europa de Sub-17 feminino, desta feita após derrotar a Suíça no desempate por grandes penalidades, após uma igualdade sem golos.

A guarda-redes Nicole Studer cobrou o sétimo remate das suíças contra o poste, isto após a sua equipa ter, por duas vezes, falhado tentativas de conversão que lhes teriam dado o triunfo no encontro. A Dinamarca, no entanto, sentirá ter sido recompensada após um jogo muito aberto e equilibrado durante os 80 minutos do tempo regulamentar.

Foi um desfecho muito duro para Studer, que havia detido, nos primeiros instantes, um remate de Sarah Hansen, antes de, aos 28 minutos, ter negado o golo a Maja Kildermoes com uma defesa para canto. Contudo, no minuto seguinte, só pôde ficar a olhar para a tentativa de Anna Fisker, cujo remate foi devolvido pela trave.

A Suíça também dispôs das suas ocasiões, com Audrey Wuichet a constituir uma ameaça no lado esquerdo e a ameaçar por duas vezes a baliza de Naja Bahrenscheer com cabeceamentos em voo durante uma primeira parte bastante equilibrada.

Após o intervalo, a Dinamarca aumentou o seu nível de jogo, com Studer a impedir Hansen de marcar, mergulhando corajosamente aos seus pés, quando estavam decorridos 55 minutos, e Pauline Vienne a aliviar o perigo, para descanso dos adeptos helvéticos.

Sabrina Ribeaud não conseguiu marcar, depois, para a Suíça, enquanto o remate de Amalie Grønbæk Thestrup saiu ligeiramente ao lado e Hansen disparou à meia-volta por cima da trave, num final frenético. Isto numa altura em que as duas formações procuravam a todo o custo evitar o desempate por grandes penalidades.

Ambas as equipas converteram as suas duas primeiras tentativas, mas a vantagem passou para o lado suíço quando Mille Poulsen rematou ao lado pelas dinamarquesas e Sabrina Ribeaud não falhou. Quando Studer defendeu o remate de Grønbæk Thestrup com as pernas, tudo parecia bem encaminhado para que Pauline Vienne selasse o triunfo para as estreantes em fases finais. Só que o seu disparo acertou no poste.

Maja Kilemoes converteu a sua tentativa com tranquilidade, devolvendo a esperança à Dinamarca. Depois, a de Francesca Calo foi brilhantemente sacudida por Bahrenscheer, levando a decisão para as rondas de grandes penalidades a eliminar. Ambas as equipas marcaram a sua primeira tentativa, mas, após Isabel Nederby ter marcado, a falha de Studer acabou por ser decisiva.