Bremer dá final com a França à Alemanha

Dinamarca 0-2 Alemanha
Pauline Bremer apontou um golo e deu outro a marcar na vitória sobre a Dinamarca que valeu às alemãs uma vaga na final ante a França.

Johanna Tietge, com o nº 17, recebe um merecido abraço, depois de a Alemanha se apurar para a final
Johanna Tietge, com o nº 17, recebe um merecido abraço, depois de a Alemanha se apurar para a final ©Sportsfile

A suplente Pauline Bremer marcou um golo e contribuiu para outro na vitória sobre a Dinamarca, por 2-0, que garente à Alemanha uma vaga na final, frente à França, na sexta-feira, na final do Campeonato da Europa de Sub-17 feminino.

Em Nyon, o encontro, equilibrado, parecia encaminhar-se para os penalties quando, a nove minutos do fim, Bremer conseguiu penetrar no lado esquerdo da grande-área e, em habilidade, superou a sua marcadora, antes de rematar cruzado, fazendo a bola entrar junto ao canto inferior da baliza de Maria Christensen. Um lance que afectou a concentração defensiva das dinamarquesas – Venus El-Kassem esteve quase e a capitã Sara Däbritz ainda acertou no poste, antes de dar o melhor destino a um cruzamento de Bremer, jogados três minutos do tempo de compensação.

A vitória assegura às jogadoras de Anouschka Bernhard não apenas uma vaga na final, contra a França, mas também a participação no Mundial FIFA de Sub-17 Feminino, a decorrer no Azerbaijão, em Setembro. Mas, durante longos períodos, a partida esteve equilibrada, com a defensiva dinamarquesa a neutralizar sucessivos lances das alemãs, ao passo que na outra ponta as centrais Franziska Jaser e Lena Lückel também assinavam uma boa exibição.

A primeira grande ocasião de perigo só chegou a meio da primeira parte, quando Janina Meissner fugiu à marcação, no corredor central, e correu para a baliza. Mas o seu remate, em força, foi à figura de Chistensen, que defendeu a dois tempos. A Dinamarca reagiu bem, com a notável Maja Kildemoes a assumir as tarefas de transporte de jogo.

Frederikke Thøgersen e Sarah Hansen tiveram oportunidades de bater a defesa alemã, mas ambas foram batidas por Jaser. Kildemoes também se destacou no outro lado, esforçando-se para obrigar Manjou Wilde a atirar ao lado. E, mesmo antes do intervalo, Meissner desperdiçou uma oportunidade após boa intervenção de Vivien Beil.

A segunda parte seguiu o mesmo caminho, com ambas as equipas a defender e a lutar muito no meio-campo. As escandinavas ainda poriam fim a um lance em que Däbritz serviu El-Kassemon, mas não teriam resposta para a entrada de Bremer em campo, ao minuto 62.