Futebol europeu de luto por Gero Bisanz

Gero Bisanz, antigo seleccionador feminino da Alemanha, que deu ímpeto à modalidade e à evolução das actividades dos treinadores da UEFA, faleceu aos 78 anos.

©Getty Images

O futebol alemão está de luto pelo falecimento, aos 78 anos, de Gero Bisanz, o seu primeiro seleccionador de futebol feminino e figura fundamental do desenvolvimento não apenas do futebol feminino na Europa, como também das actividades de treinadores da UEFA.

Entre 1971 e 2000, Bisanz liderou o desenvolvimento dos treinadores na Federação Alemã de Futebol (DFB). Entre 1982 e 1996, orientou a selecção alemã feminina, a qual disputou sob o seu comando o primeiro jogo internacional, em 1982.

A selecção feminina sagrou-se campeã europeia por três vezes durante a vigência de Bisanz – em 1989, 1991 e 1995. Depois dos Jogos Olímpicos de 1996 foi sucedido no cargo por Tina Theune, que levou a equipa à vitória no Campeonato do Mundo de 2003.

Largamente respeitado na comunidade de treinadores e de formadores de treinadores, Bisanz foi vice-presidente do Painel JIRA da UEFA, entre 1998 e 2000, e membro do Comité de Desenvolvimento Técnico da UEFA de 1992 a 1996, antes de tornar-se conselheiro especialista do comité, entre 1998 e 2000.

Foi a força motriz por detrás da Convenção de Treinadores da UEFA, criada em 1997 com o propósito de proteger a profissão de treinador e abrir caminho para a livre circulação de treinadores qualificados pela Europa de acordo com a legislação europeia, contribuindo ainda para melhorar o padrão dos treinadores a todos os níveis. Nos últimos tempos, Bisanz foi membro do "Amicale des Anciens – Associação dos Anciãos" constituída por antigos membros de comités da UEFA.

O presidente da DFB, Wolfgang Niersbach afirmou: "A notícia da sua morte súbita atingiu-nos a todos na DFB. Gero Bisanz era uma pessoa maravilhosa e um verdadeiro profissional que teve uma contribuição duradoura no futebol. Ao conquistar o Campeonato da Europa, em 1989, ajudou o futebol feminino na Alemanha a afirmar-se em termos de sensibilização e interesse por parte do público".

A actual seleccionadora alemã feminina, Silvia Neid guarda boas memórias de Bisanz: "Estou profundamente chocada e triste. Gero Bisanz era uma pessoa incrivelmente carinhosa, que tinha sempre a palavra certa para dizer. Tenho que agradecer-lhe muito pela sua personalidade, porque aprendi muito com ele como jogadora e mais tarde como treinadora. Sem o seu empenho, paixão e experiência profissional, o futebol feminino não teria o estatuto e a estrutura que hoje detém". 

Topo