Neid recorda triunfos alemães nos Europeus

Silvia Neid, que vai deixar o cargo de seleccionadora da Alemanha em 2016, participou em todos os oito triunfos do seu país no UEFA Women's EURO. A treinadora recorda agora essas vitórias, obtidas entre 1989 e 2013.

Silvia Neid esteve nos oito triunfos da Alemanha na competição, como jogadora, treinadora-adjunta ou seleccionadora, e agora recorda essas vitórias, obtidas entre 1989 e 2013.

Silvia Neid vai deixar o cargo de seleccionadora da Alemanha em 2016, depois de um notável percurso como jogadora e treinadora.

Como atleta venceu a prova em 1989, 1991 e 1995, depois como adjunta da seleccionadora Thina Theune continuou na senda vitoriosa em 1997, 2001 e 2005. Já como seleccionadora principal ergueu o troféu em 2009 (depois de voltar a sagrar-se campeã do Mundo em 2007) e, por último, em 2013, mostrando o caminho do sucesso à sua sucessora, Steffi Jones, que tentará novo triunfo em 2017. O UEFA.com convidou Neid a recordar a sua colecção única de troféus.

Jogadora
1989
: 4-1 frente à Noruega, Osnabruck
"Não partimos para a final como favoritas, mas acabámos por bater a Noruega por uns claros 4-1. O jogo foi presenciado por mais de 25 mil espectadores. Apercebemo-nos disso durante o aquecimento e foi fantástico. Ficámos muito orgulhosas com a conquista do nosso primeiro título europeu, pois ninguém estava à espera que o conseguíssemos. Foi, sem dúvida, um momento de viragem no que toca ao futebol feminino na Alemanha."

1991: 3-1 (após prolongamento) frente à Noruega, Aalborg
"A Noruega era, nesta altura, a principal potência do futebol feminino e, de facto, todos os países escandinavos estavam um passo à frente, pelo nós olhávamos para elas como um exemplo. Sobre o meu golo nessa final, lembrou-me que foi no prolongamento. Marquei o terceiro golo, após um passe atrasado vindo da esquerda. Pareceu fácil, mas pensei muito antes de rematar. Voltámos a ser campeãs da Europa. A alegria foi enorme."

1995: 3-2 frente à Suécia, Kaiserslautern
"O estádio estava completamente lotado e tornámo-nos campeãs europeias pela terceira vez. Tínhamos uma grande equipa e, desta feita, o favoritismo já estava do nosso lado. Foi um excelente jogo, disputado a um nível muito elevado, mas, no fim, creio que fomos a melhor equipa. Foi o nosso terceiro título e penso que foi aí que deixámos de olhar para a Escandinávia como um exemplo, passando a Escandinávia a olhar para nós."

Treinadora adjunta
1997: 2-0 frente à Itália, Oslo
2001: 1-0 (após prolongamento, golo de ouro) frente à Suécia, Ulm
2005: 3-1 frente à Noruega, Blackburn

"Estagiei com a seleccionadora Tina Theune em 1997, para concluir a minha aprendizagem como treinadora, e terminei com mais um título europeu, pois voltámos a vencer. A alegria foi imensa. Naturalmente, aprendi muito com Tina Theune-Meyer. Desenvolvi bastante as minhas capacidades ao lado dela e foi graças a ela que me comecei a sentir, ao fim de alguns anos, uma verdadeira treinadora."

Seleccionadora
2009: 6-2
frente à Inglaterra, Helsínquia
"Fizemos um torneio perfeito, mas lembro-me que tivemos jogos muito equilibrados. Mesmo a final, em que acabámos por bater a Inglaterra por 6-2, não foi fácil. Foi um jogo muito bem disputado até aos 60 minutos. Lembro-me que até ao nossos quarto golo nunca mandámos realmente no jogo."

2013: 1-0 frente à Noruega, Solna
"Foi especial, pois tínhamos uma equipa repleta de jogadoras jovens, menos experientes. Tornámo-nos muito unidas e, por isso, este torneio e este título significaram muito para mim."

Topo