O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
A partir de 25 de Janeiro, o UEFA.com já não vai suportar o Internet Explorer.
Para obter a melhor experiência possível, recomendamos que use Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Pellerud e Heiner-Møller com perspectivas diferentes

Apesar de notar que a presença da Noruega na final surpreende algumas pessoas, Even Pellerud ficou desiludido com a exibição da sua equipa, enquanto Kenneth Heiner-Møller reflectiu sobre o seu último jogo no cargo.

Pellerud e Heiner-Møller com perspectivas diferentes
Pellerud e Heiner-Møller com perspectivas diferentes ©Sportsfile

Even Pellerud, treinador da Noruega
Como é óbvio, deu para ver que esta não foi a melhor exibição que a minha equipa realizou. Deu a sensação que as jogadoras estavam cansadas, por isso abrandaram bastante. Já para não falar que, no global, não fomos capazes de criar muitas oportunidades. O adversário conseguiu muitos cruzamentos para a área e remates também. No cômputo geral, diria que não jogámos tão bem quanto queríamos. Hoje a equipa esteve um pouco mais cansada do que antes.

Também tenho que felicitar a equipa dinamarquesa. Trocou a bola muito bem. Parecia entusiasmada para este desafio e apanhou-me de surpresa.

Desejamos sempre que a história se repita, mas não é esse o caso no desporto. No domingo, a minha equipa, ou eu próprio, não vamos ter uma ajuda extra pelo facto de a Noruega ter derrotado a Alemanha há 18 anos. Esta é uma geração completamente nova, o próprio futebol mudou. A Alemanha, como sempre, é muito talentosa, e isso viu-se frente à Suécia.

Kenneth Heiner-Møller, treinador da Dinamarca
Tenho que dar os parabéns à Noruega pelo apuramento para a final. Jogou da forma que lhe é característica, trabalhou bastante e deu pouco espaço entre linhas. Em relação a nós, não estamos assim tão satisfeitos, pois queríamos ganhar. Mas antes do jogo disse que tínhamos de estar atentos à exibição. Tirando os cinco minutos iniciais, jogámos da forma que pretendíamos, talvez até um pouco melhor.

Não estou surpreendido pelo facto de as jogadoras terem, mais uma vez, trabalhado tanto durante 120 minutos. Estas jogadoras têm uma força de vontade enorme e um grande espírito de sacrifício, mas infelizmente não foi suficiente. Hoje não era o nosso dia.

Não quero falar sobre o meu legado, estou muito orgulhoso do desempenho das minhas jogadoras neste EURO, foi excelente. Algumas pessoas acham que se tratou de sorte, mas não. Na base de tudo esteve muito trabalho.

Conteúdos relacionados